Marinheiros de primeira viagem: o empreendedorismo não é para amadores

Confira dicas de como iniciar o próprio negócio e obter sucesso


Quem já teve alguma experiência empresarial sabe que abrir o próprio negócio é um desafio e tanto. Superar todas as barreiras da burocracia requer paciência, conhecimento técnico e até mesmo um pouco de sorte. Infelizmente, tirar ideias do papel e colocar em prática não é algo que se faz da noite para o dia, e nem de uma semana para outra. Mas antes que você desanime, saiba: com planejamento, o resultado vale a pena.

Empreender é um ato de coragem

Deixar de lado um emprego fixo com benefícios trabalhistas como férias e décimo terceiro, além de seguro desemprego e proteção previdenciária, exige saber dosar a razão com a emoção. Isso porque o mercado brasileiro, em crise, não abre portas para amadores. É necessário ter consistência e criatividade para fazer a diferença.

O empresário Wilson Borges, que mantém um site de dicas das mais diferentes áreas, tem uma ótima definição para o tema empreendedorismo. Para ele, “”mais do que ter o dinheiro necessário para abrir a sua própria empresa e se tornar um empresário, é essencial ter capital intelectual […]”

E é verdade. A formação acadêmica ou a experiência no mercado são essenciais para abrir, organizar e sustentar o próprio negócio. Preparamos algumas dicas para os marinheiros de primeira viagem. Confira!

Dicas para quem deseja empreender

  • Não seja um lobo solitário – um erro comum dos empreendedores iniciantes é o receio de compartilhar a ideia e ser roubado. Na verdade, esta relação entre empreendedores é saudável e necessária. Afinal, estamos falando de pessoas que já passaram por todos os desafios iniciais, seja na sua mesma área de atuação ou não. Além disso, procure se orientar com profissionais da administração e da contabilidade sobre os desafios burocráticos que devem ser enfrentados.
  • Conheça o mercado – se aventurar em um negócio em que você não tem qualquer experiência é muito arriscado. Há casos de donos de salões de beleza que nunca cortaram um cabelo, assim como de proprietários de mercados que não sabem diferenciar verduras e identificar frutas. Percebam que estas pessoas acabam falindo antes do primeiro ano. Por isso, é muito importante saber para onde o seu investimento está indo.
  • Leia, aprenda e faça reciclagens – Mesmo com experiência na área de atuação futura, saber nunca não é demais. Se não há tempo para fazer cursos, procure os livros, os artigos acadêmicos e os blogs voltados para empreendedores. Algumas leituras serão valiosas em algum momento.
  • Avalie o mercado – traçar o seu público alvo e identificar a demanda por determinado produto ou serviço é muito importante antes de abrir as portas. Gratuitamente, é possível ter esta consultoria por meio do Sebrae. Caso exista a possibilidade de algo mais personalizado – e dinheiro para investir – uma assessoria técnica própria será uma grande aliada. A pesquisa de mercado é um excelente primeiro passo. E não se esqueça de investir em uma boa localização antes de abrir as portas. O público-alvo precisa te encontrar.
  • Não espere sucesso imediato – deixar o emprego fixo para ser dono do próprio negócio é muito bom e permite resultados satisfatórios, embora eles não cheguem imediatamente. A maturidade do negócio pode levar muitos anos. O importante é sempre progredir em busca do crescimento da marca, da satisfação dos clientes e, consequentemente, do aumento dos ganhos.
  • Busque recursos – É possível empreender com pouco dinheiro. Se a ideia for boa, investidores externos – ou bancos -, podem comprar a sua ideia. É aquele velho método de negócio, em que uma pessoa entra com o trabalho e outra com o capital. E acredite: funciona! No mundo cada vez mais tecnológico, é possível encontrar redes sociais específicas para o compartilhamento de ideias e busca de investimentos. Faça uma pesquisa e comprove.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu