Um levantamento do Grupo de Estudos e Pesquisa TrabalhoEducação e Sociedade (GETES) do Centro Universitário Internacional Uninter, aponta que 74% das crianças que estão em situação de abrigamento em Curitiba e  região metropolitana foram vítimas de algum tipo de violência, abandono e outras violações de direitos, resultantes da desigualdade social vivenciada no país.

A violência (física, psicológica, sexual ou familiar) está presente em 28,5% dos casos. Já o  abandono e a negligência em 26%. O uso abusivo de drogas e problemas psiquiátricos entre os responsáveis corresponde a 19,5% dos casos. Outras causas também foram apontadas, como evasão da escola, orfandade, prisão do genitor, situação econômica precária, entre outras com menor ocorrência.

Entre 2016 e 2017, estudantes e professores da Uninter analisaram prontuários de aproximadamente 300 crianças e adolescentes de 0 a 18 anos de idade. “A pesquisa reforça a importância e o aumento desta demanda social. Também aponta a necessidade de profissionais especializados que atuem no acolhimento institucional, com vistas a uma efetivação de direitos mais ampla, o que pode ser construído a partir de acompanhamentos mais adequados e contextualizados à dinâmica da vida em uma sociedade capitalista”, explica Dorival da Costa, coordenador do curso de Serviço Social da Uninter.

A pós-graduação em Acolhimento Institucional e Familiar, recém-lançada pelo centro universitário, contribui no debate em torno do papel da família e da intervenção profissional, aponta direcionamentos de discussão de instrumentais de planejamento, execução, avaliação e monitoramento de políticas com relação ao trabalho proposto. Além disso, abre um leque de possibilidades aos egressos para atuação profissional e social em diferentes áreas de políticas e programas sociais como, por exemplo, Conselhos de Direito, Movimentos Sociais, Organizações da Sociedade Civil e outras organizações não governamentais de cunho privado.

release@pg1com.com

Talvez você se interesse por estes artigos.

Fechar Menu