Paranaense bate recorde com coleção de Tex Willer

O servidor público de Londrina (PR), João Batista Marin quebra recorde junto ao RankBrasil em 2018 de Maior coleção de Tex Willer. Ele possui 5.321 itens nacionais e importados do personagem de quadrinhos do velho oeste, entre revistas, livros, pôsteres e estatuetas.

A coleção começou em 1977, foi formada mensalmente e ao longo de mais de 40 anos João tem adquirido todas as edições nacionais em bancas ou diretamente das editoras. “Alguns números, por algum problema ou devido à data de lançamento, tiveram que ser comprados posteriormente através de outros colecionadores ou de anúncios de venda online”, comenta.

De acordo com o recordista, as edições e itens importados foram adquiridos de várias formas: em viagens ao exterior dele mesmo ou de amigos, em lojas e ‘comics shop’ que importavam para o Brasil, de outros colecionadores e através da internet. “De uns tempos para cá tenho visto pouco material importado à venda, talvez pela alta taxa do câmbio”.

Nascido na cidade de Nova Esperança (PR), desde criança João já gostava de quadrinhos. “Quando comecei a ler minha preferência eram as revistas com histórias curtas e coloridas como as da Disney (Donald, Zé Carioca, Tio Patinhas, Mickey, etc) e as de super-heróis”, lembra.

O contato com as publicações de Tex (mais direcionadas para um público juvenil / adulto) veio em 1973. Ele lembra que na época as revistas eram publicadas em preto e branco e com histórias longas, por isso não estavam entre as suas preferidas.

Em 1975, João começou a colecionar revistas de histórias em quadrinhos, inicialmente da Hanna-Barbera. Depois foram incluídas as de super-heróis como Homem de Ferro, Homem-Aranha, Thor, Hulk e Capitão América. No ano de 1976 ampliou a coleção das revistas de super-heróis e acrescentou as de terror e outras.

Nessa época tinha revistas do Tex apenas para leitura. No início de 1977, quando circulou a notícia de que a segunda edição seria lançada, o paranaense se animou e finalmente começou a colecionar as revistas do personagem do velho oeste, que é originário da Itália.

Conforme João, atualmente com 53 anos, assim como muitas outras coisas a coleção fez e faz parte da sua história de vida. “As revistas me fazem lembrar a época em que foi lançada e de fatos ocorridos comigo naquele período”, revela.

Ele acredita que o recorde vem demonstrar e dar conhecimento ao público de que há grandes colecionadores de Tex no Brasil (o país que mais o publica, depois da Itália). “Espero que esse reconhecimento, especialmente pela divulgação, chame mais atenção para o personagem e incentive a formação de novos leitores, uma vez que ao longo do tempo tem diminuído o número de fãs e colecionadores de quadrinhos”.

 

Histórias com valores éticos e morais

Segundo o recordista, o Tex é um dos poucos personagens que demonstram, através de suas histórias, valores éticos e morais centrados na justiça e honra. “A coleção tem edições e itens raros que são valorizados comercialmente, mas os com mais significado para mim são aqueles adquiridos na época em que foram lançados e que me acompanham até hoje”, diz.

Pela sua importância, a coleção fica guardada em um quarto específico para isso. João lembra que até alguns anos atrás os exemplares eram armazenados dentro de armários e controlados por um banco de dados. “Com o aumento dos itens fui obrigado a colocar os volumes em caixas plásticas para poder empilhar. Pensando na sua conservação, todas as revistas estão embaladas individualmente e mantidas longe de umidade e luz forte”.

Entre os itens mais raros estão um encadernado com exemplares da primeira série italiana (1948), Júnior nº 28 (primeira aparição de Tex no Brasil – 1951), El Rayo Rojo nº 1 (primeira aparição de Tex na Argentina – 1949), Tex nº 1 da primeira edição (1971), álbum de figurinhas do Tex (1981) e estátuas de Tex da Infinite (Itália – 2008 – três versões de estátuas com tiragem limitada de apenas 48, 148 e 648 unidades).

João ainda destaca as artes originais e únicas de Tex, Tutto Tex nº 497 (Itália – com duas capas idênticas), Tex nº 76 da segunda edição (apenas a capa é do Tex o miolo é da revista Chacal nº 25).  “Também coleciono revistas com erros ou falhas”, finaliza.

(imprensa.rankbrasil@gmail.com)

Talvez você se interesse por estes artigos

Sempre atenta com os assuntos do trade do turismo paranaense, a Associação Brasileira das Agências de Viagens do Paraná, participou da 75ª Reunião Ordinária do...
Leonardo Beling, diretor de marketing da GGV Consultoria Empresarial, comandou um talk sobre Perspectivas do Mercado em 2019 na Villa Batel Decor. O evento reuniu...
Fechar Menu