Entenda por que a inflação tem impactos diferentes na vida das pessoas

Notaparana
Tony Winston/Agência Brasília

Inflação foi um problema grave na vida do brasileiro até os anos 1990, antes do Plano Real estabilizar a economia e garantir um País mais estável. Até o nascimento da atual moeda brasileira, o consumidor via os preços subirem todos os dias, às vezes mais de uma vez por dia. A época da inflação galopante, agora, está definitivamente no passado.

Apesar dos preços ainda oscilarem, nada se compara ao Brasil dos anos 1990. O consumidor, no entanto, precisa entender que inflação é algo natural na economia. Antes do real, a imprevisibilidade era grande. Era praticamente impossível planejar investimentos e compras de longo prazo. O dinheiro perdia valor a rapidamente. Ninguém sabia quanto um produto custaria no dia seguinte.

Inflação, na prática, é quanto o preço varia em um determinado período. Se uma batata custasse R$ 2 o quilo em janeiro de 2010 e maio o valor tivesse subido para R$ 2,10, a inflação desse item estaria em 5% nesse período.

O que é IPCA

IPCA é a sigla para Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Esse indicador é a inflação oficial do Brasil e mede a inflação dos produtos que compõe a cesta de consumo do brasileiro. Essa cesta é formada pelos itens mais importantes para as famílias.

Para chegar ao índice de cada mês, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) precisa fazer um cálculo. Ele divide os produtos em grupos e cada um deles têm um peso diferente. Esse peso é terminado de acordo com o que o brasileiro mais compra.

Esse indicador é ainda uma espécie de média de todos esses itens que são importantes. No mês, alguns deles podem subir e outros podem cair de preço. No fim, a média ponderadas de todas essas variações vão formar a inflação do mês.

Impacto da inflação na vida de cada um

Por ser uma média, isso significa que os consumidores podem ter percepções diferentes sobre o custo de vida. Se a gasolina tem um peso maior no orçamento de uma família e os preços do combustível sobem, essas pessoas vão avaliar que o custo de vida está ficando mais pesado.

Já para outras famílias, se os alimentos são mais importantes no consumo mensal, a avaliação pode ser diferente se os preços desses itens ficarem mais baratos. Para eles, pode significar uma redução no custo de vida.

Fonte