Chega ao Brasil medicamento à base de canabinoides para o tratamento da espasticidade relacionada à esclerose múltipla

Notaparana

A filial da Ipsen no Brasil, grupo farmacêutico global especializado em soluções de saúde com o alvo em doenças debilitantes, traz ao mercado brasileiro o primeiro medicamento à base de canabinoides aprovado pela ANVISA em janeiro de 2017.

Fabricado pela companhia inglesa GW Pharma LTD., sob rígidos processos de controle de qualidade, na forma de spray oral, Mevatyl® será comercializado no Brasil pela Ipsen Farmacêutica. Esse medicamento é indicado para o tratamento dos sintomas decorrentes da espasticidade moderada a grave, relacionada à esclerose múltipla (EM), em pacientes adultos que não tenham obtido resposta adequada a outros medicamentos. A comercialização do produto teve início em abril de 2018 e a compra poderá ser feita mediante a receita especial “categoria A3” (de cor amarela), que ficará retida em farmácia.

“A espasticidade é como uma cãibra constante, uma condição dolorosa e incapacitante, caracterizada pela rigidez muscular. No Brasil, estima-se que cerca de 30 mil pessoas tenham EM e estudos apontam que cerca de 84% das pessoas com esclerose múltipla desenvolvem espasticidade¹, o que prejudica a execução de tarefas básicas do dia a dia, como se vestir ou alimentar-se, por exemplo”, afirma Dra. Andrea Thomaz Viana, gerente médica da Ipsen no Brasil.

Aprovado em 16 de janeiro de 2017, a comercialização de Mevatyl® no Brasil marca uma decisão inédita da ANVISA em abrir o mercado farmacêutico brasileiro às terapias inovadoras à base de canabinoides, que já se tornaram referência em tratamentos de diversas condições neurológicas graves fora do país.

A esclerose múltipla é uma doença neurodegenerativa caracterizada pela inflamação e destruição da mielina, camada de gordura protetora das células nervosas, levando a uma série de sintomas e complicações, entre eles a espasticidade – caracterizada pelo aumento da contração da musculatura de forma contínua. O agravamento desta complicação pode chegar à rigidez total dos músculos que, às vezes, pode ser acompanhada por espasmos, dificuldades de mobilidade, alterações do padrão de sono e muita dor.

Composto por THC e CBD, o produto está aprovado em 29 países e é comercializado em 16, incluindo países da União Europeia, desde 2010. “A chegada de um produto como esse significa um grande avanço na saúde do país e, mais do que isso, uma nova esperança de melhora na qualidade de vida de pacientes que antes não apresentavam melhora diante das terapias já existentes no mercado”, complementa Dra. Andrea.

Um estudo randomizado, duplo-cego e controlado com placebo e com Mevatyl®, publicado em 2011 pelo European Journal of Neurology2, demonstrou que 74% dos pacientes que utilizaram o medicamento apresentaram redução de 30% ou mais nos sintomas de espasticidade em comparação com outros tratamentos utilizados previamente, o que representa uma melhoria clínica significativa nesta população de pacientes.

Para maiores informações sobre o medicamento e orientações para adquirir, consulte o site www.ipsen.com.br.

luccas.sanches@bm.com