Cirurgia minimamente invasiva de prótese de quadril pode reduzir tempo de recuperação quase pela metade

A primeira cirurgia para melhorar a qualidade de vida em quem tem problemas graves no quadril, como artrite e fraturas, aconteceu em 1960. Muito segura, desde então, a cirurgia tem ajudado principalmente idosos com problemas em decorrência da idade. Uma nova técnica, no entanto, oferece a possibilidade de menor permanência do paciente no Hospital e melhor recuperação pós-cirúrgica. É a cirurgia minimamente invasiva conhecida por prótese de quadril via anterior – AMIS, que pode reduzir quase pela metade o período de recuperação do paciente.

O procedimento é feito por um acesso anterior - ao invés dos clássicos posterior e lateral. Por ser um plano intermuscular e internervoso, preserva tecido e especialmente os nervos, tornando o procedimento menos invasivo e facilitando a recuperação pós-operatória.

O ortopedista e cirurgião da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Marco Aurélio S. Neves, conta que a cirurgia minimamente invasiva diminui os custos de todo o procedimento e beneficia o paciente, que se recupera mais rápido. “Entre os benefícios, a diminuição do risco de trombose venosa profunda, já que não há interrupção de fluxo sanguíneo durante a cirurgia, contribuindo para menor incidência de uso de hemoderivados e menor risco de luxação da prótese” afirma o especialista.

Casos em que a cirurgia é indicada

Tendência no mundo, mas feita apenas em poucos lugares no Brasil – como no Hospital São Camilo, Dr. Neves comenta que a recuperação da cirurgia pode diminuir significativamente, já que no procedimento comum, o paciente pode levar de três a quatro meses para se recuperar. Já na técnica AMIS, o paciente pode perceber os benefícios da intervenção nas primeiras três semanas. “Com esta técnica ao invés de manipular os nervos e músculos, é possível apenas afastar o intervalo entre dois músculos na frente do Quadril, para chegar no quadril e colocar a prótese”, afirma. Essa técnica, porém, é feita com a ajuda de uma mesa cirúrgica especialmente desenvolvida para esse tipo de procedimento.

Pelo fato de a recuperação ser mais rápida, os pacientes que têm desgaste nas articulações em decorrência da artrose são os maiores beneficiados na cirurgia. “Como a pessoa tem muita dor e muita limitação, o resultado dessa cirurgia é muito bom”. Por causa de outras limitações da idade, como algumas doenças crônicas, a recuperação veloz ajuda na qualidade de vida.

Indicações para prótese de quadril

A cirurgia de prótese de quadril só é indicada como uma situação extrema, em que a pessoa não tem mais condição clínica para suportar e os outros tratamentos medicamentosos ou de fisioterapia já foram feitos. “Não é uma cirurgia de urgência. Fazemos a avaliação e indicamos para o paciente que tem muito desgaste ou que não aguenta mais e quer resolver o problema. São pacientes que têm dificuldade de calçar sapatos e não conseguem mais dirigir, por exemplo”, explica o médico.

A artrose é o principal motivo para a cirurgia. Doença degenerativa e que vem com a idade, normalmente acomete pessoas com mais de 60 anos, diz Dr. Neves. “Com o aumento da expectativa de vida, os idosos são os que mais precisam da cirurgia, mas jovens que fizeram esportes de alto rendimento ou que sofreram acidentes também podem precisar da cirurgia de prótese de quadril”, afirma. Algumas doenças reumatológicas, como a artrite reumatoide, também provocam o desgaste e colocam o paciente na fila da indicação para o procedimento.

ana.nabeiro@maquina.inf.br

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu