ARTIGO | As grandes questões da indústria funerária

As grandes questões da indústria funerária
Mylena Cooper, diretora do Crematório Vaticano
A cidade italiana de Milão recebeu os maiores profissionais do ramo funerário no mundo em setembro, por ocasião da Convenção Internacional da Indústria Funerária. O evento é promovido pela Federação Internacional das Associações de Tanatólogos (FIAT IFTA), a maior entidade mundial do segmento, que reúne membros de mais de 80 países.
O Crematório Vaticano, com sede em Curitiba e mais de 85 anos de tradição no ramo funerário, representou o Brasil no encontro e foi o único participante brasileiro na convenção. A empresa é membro da FIAT IFTA há dez anos e esteve na reunião do comitê da federação com o objetivo de trazer atualização para o setor funerário do nosso País.
A FIAT IFTA é encarregada de estudar as grandes questões jurídicas, morais, sociais e científicas relativas às atividades tanatológicas. Como entidade que representa o setor em todo o mundo, a federação busca promover a compreensão entre profissionais de serviço funeral de diferentes países para atingir padrões uniformizados, assim como definir tratados para o repatriamento internacional eficiente dos falecidos.
Além de reunir o que há de mais atual nesse mercado em termos de tecnologia e promover a troca de experiências entre os países, o evento teve o propósito de discutir as grandes questões que envolvem o funeral no mundo. Um dos principais assuntos discutidos entre os membros da FIAT IFTA foi o trabalho realizado junto à Unesco para preservar os patrimônios históricos e culturais dos ritos funerários de cada país.
Conciliar a manutenção das tradições funerárias dos diferentes povos com a atenção às questões sanitárias e ambientais sempre foi um desafio para o setor em diferentes partes do mundo. Por isso mesmo, a discussão sobre temas ambientais também ocupou boa parte dos debates.
Soluções para a execução dos rituais funerários com o mínimo impacto à natureza foram amplamente discutidas, assim como novos formatos de destino ao corpo, menos impactantes que a cremação e o sepultamento. Discussões sobre procedimentos de tratamento em situações extremas, como as questões relacionadas ao ebola, também ocuparam os membros da FIAT IFTA.
Atento às grandes questões que envolvem os rituais funerários ao redor do mundo e gozando do privilégio de representar o Brasil no maior fórum desse setor, o Crematório Vaticano retorna ao País com novos conhecimentos e informações para elevar ainda mais o padrão dos serviços brasileiros no segmento.
<cinthia@vocali.com.br>

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui