Paranaenses vão usar o 13º salário para quitar dívidas

O tão esperado 13º salário será um alívio para os endividados, ainda mais considerando que o Paraná lidera o ranking brasileiro de famílias endividadas há três anos. De acordo com o levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), 27% dos paranaenses vão usar o 13º para quitar dívidas.

Outra alternativa para o uso da bonificação de fim de ano, citada por 18% dos entrevistados, será fazer uma reserva financeira para 2016.  Os que pretendem usar o dinheiro extra com viagens são 16%; enquanto 15% pretendem comprar presentes de Natal; 10% ainda não sabem qual será o destino do salário adicional e 8% afirmam que direcionarão o 13º para o pagamento de impostos e taxas.

No entanto, 20% dos entrevistados não poderão contar com a bonificação porque declararam estar desempregados.

destino
A Fecomércio PR ouviu 370 consumidores entre os dias 28/10 a 06/11/2015. A soma dos percentuais ultrapassa 100%, visto que os entrevistados poderiam indicar três alternativas, em ordem de preferência.

A Fecomércio PR ouviu 370 consumidores entre os dias 28/10 a 06/11/2015. A soma dos percentuais ultrapassa 100%, visto que os entrevistados poderiam indicar três alternativas, em ordem de preferência.

Para o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, o 13º salário vai amenizar a situação dos endividados no Estado, que vem se agravando nos últimos meses. Conforme mostra a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, o percentual de famílias com algum tipo de dívida, entre cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro, alcançou 87% em novembro de 2015, o que representa alta tanto em relação a outubro (85,7%) e a novembro de 2014 (84,4%).

A média nacional de endividamento ficou em 61% neste mês e apresentou a segunda redução mensal consecutiva.  Em novembro, o Paraná voltou a figurar como o Estado com o maior percentual de endividados, após três meses na segunda posição do ranking (agosto, setembro e outubro).

“O que mais preocupa, porém, é o percentual de inadimplentes, bem como a parcela da população que não possui condições de quitar suas dívidas, ao menos enquanto o Paraná mantiver o nível de emprego”, avalia Piana.

A pesquisa revela que 28,4% dos endividados estão com contas em atraso. Em outubro, os inadimplentes eram 27,3% e em novembro do ano passado chegavam a 22,6%.

O percentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas em atraso também aumentou, passando de 10,9% em outubro para 12,2% em novembro.

 historico

Nível de endividamento

          Dentre as famílias endividadas no mês de novembro, é questionado como elas se visualizam em relação às dívidas, sendo que 26,8% têm a percepção de estar muito endividadas.

nivel

Tipos de dívida

O cartão de crédito foi apontado como um dos principais tipos de dívida, por 68,1% das famílias, seguido pelo financiamento de veículos (11,4%) e o financiamento imobiliário (8,8%).

 tipo

Tempo de atraso nas dívidas e renda comprometida

Entre os que estão com contas em atraso, 49,3% das famílias já estão com as parcelas atrasadas há mais de 90 dias e são consideradas inadimplentes, podendo, inclusive, ter seu nome incluso nos sistemas de proteção ao crédito.

O tempo médio de comprometimento com dívidas é de sete meses. Já o percentual médio da renda comprometida com dívidas é de 32,1 %, sendo que 20,8% dos consumidores têm mais da metade de seus rendimentos já vinculados a dívidas.

<raissa.gomes@pr.senac.br>

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui