Diagnóstico e tratamento precoces dobram as chances de cura do câncer infantojuvenil

Diferentemente do câncer em adultos, em crianças e adolescentes a doença é mais agressiva, se desenvolve rapidamente e não há prevenção. Mas a boa notícia é que o diagnóstico e tratamento precoces podem melhorar muito as chances de cura. Em torno de 70% das crianças acometidas pelo câncer conseguem ter uma vida normal quando o tratamento é realizado na fase inicial da doença.

“O câncer se manifesta de forma diferente nos adultos e em crianças e adolescentes. Os meninos e meninas respondem de forma melhor ao tratamento com quimioterapia. Por isso é importante que o diagnóstico seja realizado o quanto antes e a doença não seja descoberta tardiamente, quando o câncer já na fase de metástase”, alerta a médica responsável pelo Serviço de Oncologia e Hematologia do Hospital Pequeno Príncipe, Flora Mitie Watanabe.

O câncer é a principal causa de morte por doença em crianças e adolescentes, por isso é considerado uma emergência. No Brasil, são 12 mil novos casos por ano, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). A leucemia é o tipo mais comum no público infantojuvenil, seguido de tumores do sistema nervoso central e linfomas.

Neste mês, marcado pela luta contra o câncer, o Hospital Pequeno Príncipe sensibiliza a população sobre os principais sintomas da doença no público infatojuvenil. Alguns sinais podem ser confundidos com doenças comuns da infância. Por isso, a orientação é procurar um pediatra ou um serviço de saúde se a criança ou o adolescente apresentar alguns sintomas.

Sinais de alerta

– Dores nos ossos, principalmente nas pernas, com ou sem inchaço.

– Palidez inexplicada.

– Fraqueza constante.

– Aumento progressivo dos gânglios linfáticos.

– Manchas roxas e caroços pelo corpo, não relacionados a traumas.

– Dores de cabeça, acompanhadas de vômitos.

– Perda de peso.

– Aumento/inchaço na barriga.

– Febre persistente ou suores constantes e prolongados.

– Distúrbios visuais e reflexos nos olhos.

 

Pequeno Príncipe: referência em tratamento oncopediátrico

Desde 1968, oferece tratamento a pacientes com câncer, de 0 a 18 anos. O Serviço de Oncologia e Hematologia é considerado o maior em pediatria no Paraná, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde. Também é referência em tumores sólidos e doenças hematológicas malignas. Em paralelo, a unidade de Transplante de Medula Óssea (TMO) tem se consolidado como um importante centro de atendimento no Brasil.

Pacientes de todo o País são encaminhados para o Pequeno Príncipe para o diagnóstico, tratamento e investigação na área científica contra o câncer e outras doenças de sangue. Cerca de 80% do atendimento é feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em média, a são registrados 120 novos casos por ano somente na instituição. <camila.mendes@hpp.org.br>

Tratamento em números/ano

Mais de 8 mil atendimentos ambulatoriais

Cerca de 1.000 internações

3.400 sessões de quimioterapia

18 transplantes de medula óssea (todos pelo SUS)

unnamed (1)

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui