Grupo vai discutir zona de amortecimento do Parque Estadual Mata dos Godoy

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) publicou nesta terça-feira (16) a portaria nº 232/2015, que cria um grupo para discutir e verificar a alteração, ou não, do mapeamento da zona de amortecimento do Parque Estadual Mata dos Godoy, em Londrina. O objetivo é contribuir com as discussões na cidade, que está revisando seu plano diretor para expansão urbana. "Nós recebemos diversas consultas do município e da Câmara de Vereadores com relação aos limites da zona de amortecimento do parque. O nosso objetivo é colaborar com essa discussão para garantir o desenvolvimento social e economic do município, aliado à preservação ambiental de espaços que ainda estão preservados", explicou o chefe regional do IAP em Londrina e coordenador do grupo, Ronaldo Siena.

Além do coordenador, fazem parte do grupo quatro servidores de carreira do Instituro que trabalham com Unidades de Conservação em diversas regiões do Estado. De acordo com eles, os estudos que serão realizados a partir da portaria devem ajudar a avaliar se é possível criar um novo perímetro de amortecimento do Parque Estadual, com a finalidade de analisar algumas áreas, retirando da proteção os locais já impactados pela ação do homem, principalmente as áreas densamente povoadas.

"O Plano de Manejo da Unidade de Conservação – concluído em 2002 – com as tecnologias disponíveis na época, considerou áreas urbanas já impactadas como áreas de entorno, o que impede a construção de empreendimentos imobiliários de alta densidade e a instalação de indústrias, pois não são permitidos atualmente pela lei, uma vez que a zona de amortecimento não pode ser transformada em área urbana", explicou a gerente das unidades de conservação da região, Raquel Fila Vicente.

O grupo terá 120 dias para finalizar uma nova proposta de mapeamento da zona de entorno que contemple o desenvolvimento econômico da região e a preservação do meio ambiente.

"O Governo do Estado tem discutido com os municípios com o objetivo de contribuir com o desenvolvimento planejado das zonas urbanas, mas isso precisa ocorrer respeitando o meio ambiente. Vamos aguardar o término da discussão técnica sobre para avaliar como podemos colaborar com o desenvolvimento sustentável", disse o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto.

Os estudos também vão contribuir para a revisão do plano de manejo, cujo processo de revisão está previsto para iniciar em 2016. O plano de manejo delimita o que pode ser feito ou não nas áreas de conservação.

ZONA DE AMORTECIMENTO – De acordo com a Lei Federal, nº 9958/2000, zona de amortecimento é determinada área no entorno de uma unidade de conservação, onde as atividades humanas estão sujeitas a normas e restrições específicas, com o propósito de minimizar os impactos negativos sobre a unidade.

A manutenção dos ecossistemas livres de alterações causadas por interferência humana, deve observar a manutenção da floresta viva, não ilhada, e de preferência formando um corredor de biodiversidade por onde possa haver a interação com outras áreas preservadas.

Na época em que foi desenvolvido o plano de manejo do Parque Estadual Mata dos Godoy, a zona de amortecimento apresentava, em sua composição territorial, atividades essencialmente rurais voltadas ao plantio de soja, milho, trigo, aveia, café, gado de corte e de leite, além da presença de pequenos açudes com a produção de peixes para consumo doméstico.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em: www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br

<imprensaiappr>

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui