Leilão negocia quase 2 mil quilômetros de linhas de transmissão

O Leilão de Transmissão nº 5/2015, promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), foi concluído com a negociação de 1.986 km de linhas de transmissão. Conforme dados divulgados nesta quarta-feira (18) pela agência, foram arrematados os lotes de empreendimentos de transmissão em Goiás (GO), Mato Grosso (MT), Minas Gerais (MG), Paraná (PR) e Santa Catarina (SC). O prazo das obras vai variar de 30 a 60 meses e as concessões são de 30 anos a partir da assinatura dos contratos.

O diretor da Aneel José Jurhosa Júnior ressaltou a importância do resultado do certame: “com a licitação, chegamos a R$ 13,5 bilhões de investimentos em transmissão este ano, um valor bastante expressivo”, afirmou.

O Consórcio Firminópolis, composto pelas empresas Cel Engenharia Ltda e Celg Geração e Transmissão S/A, arrematou o lote L por R$ 6,5 milhões. O projeto prevê uma linha de transmissão com 83 km de extensão em Goiás. De acordo com a agência, a linha é parte do plano de reforço estrutural para atendimento à região oeste goiana.

O lote G foi arrematado pela Planova Planejamento e Construções S/A por R$ 60,5 milhões, com deságio de 6,14% em relação à Receita Anual Permitida (RAP) prevista pela agência no valor de R$ 64,4 milhões.

Esse empreendimento terá uma linha de transmissão com 350 km em Mato Grosso que servirá para expandir o sistema de transmissão ente o estado e Rondônia e o escoamento da energia proveniente das máquinas adicionais das usinas hidroelétricas de Santo Antônio e Tabajara.

A Copel Geração e Transmissão S/A arrematou o Lote E do leilão, com valor de R$ 97,9 milhões, sem deságio em relação à RAP, com valor previsto de R$ 97,9 milhões. O lote é composto por 230 km de linhas de transmissão e 900 MVA de potência de subestações. As instalações servirão para expansão do sistema de transmissão na região entre os Estados do Paraná e Santa Catarina. Além disso, vai favorecer o crescimento da carga e o escoamento da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu.

O lote A foi arrematado pelo Consórcio TCL (composto pelas empresas Cimy Holding S/A, Lintran do Brasil Participação S/A e Brookfield Participações Ltda.), com oferta de R$ 448,8 milhões, sem deságio em relação à RAP, de R$ 448,8 milhões. A RAP é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações.

Esse lote é composto por 11 linhas de transmissão, com 1.323 km e nove subestações com 4430 megavolt-ampere (MVA) de potência, localizadas em Minas Gerais. As instalações servirão, segundo a Aneel, para aumentar a confiabilidade ao atendimento elétrico no leste do Estado, que concentra uma das mais importantes regiões produtoras de minério e siderurgia do Brasil, conhecida como Vale do Aço.

Os lotes B, C, BC, D, F, H, I, J e K não receberam propostas e deverão ser leiloados nos próximos certames da Aneel.

Fonte: Aneel, com informações da Agência Brasil

Foto:EBC

 

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui