Como sobreviver à crise (e tirar proveito dela)

Miguel Krigsner, Oriovisto Guimarães e Joel Malucelli mostram como atravessaram diversas crises e se mantiveram na liderança por mais de três décadas

 

O Encontro Empresarial Visionários do Paraná reuniu três dos mais reconhecidos empresários do Paraná na última segunda-feira (07), na Universidade Positivo, em Curitiba (PR). Miguel Krigsner (O Boticário), Oriovisto Guimarães (ex-presidente Grupo Positivo) e Joel Malucelli (JMalucelli) são fundadores de grupos empresariais que, juntos, detêm de mais de 100 empresas e geram cerca de 25 mil empregos diretos e mais de 200 mil indiretos.

Sob mediação do diretor de Marketing do Grupo Positivo e diretor da Escola de Comunicação e Negócios da Universidade Positivo, Rogério Mainardes, e do CEO da J. Malucelli Investimentos, Leonardo Boguszewski, os convidados responderam mais de 20 questões do público presente, que lotou o auditório com mais de 800 pessoas. As perguntas giraram em vários temas , mas um prevaleceu : a crise que assombra o Brasil. Como sobreviver? Ela vai ter fim? O que a diferencia das demais crises que eles já atravessaram?

“A grande regra é que não há regras”, disse Krigsner, lembrando que a receita que deu certo para o JMalucelli não deu para o Boticário: “quando tentei diversificar e atuar num ramo de atividade diferente do meu, não me dei bem”, lembrou, referindo-se ao investimento no Shopping Estação, no ano 2000. Para o fundador do Grupo Boticário, a grande saída da crise para uma organização é a competência dos que a levam para frente. Sempre valorizando os colaboradores, Krigsner contou que descobriu que a empresa havia crescido quando se deu conta que não sabia o nome de alguns funcionários. “A organização tem que fazer parte do sonho dos colaboradores. As pessoas têm que saber que não trabalham para O Boticário, mas que trabalham dentro do Boticário, para realizarem os seus sonhos”, afirmou.

Para sair da crise, Krigsner acredita que o Brasil precisa de lideranças que apresentem planos de médio e longo prazos. “Todo mundo fala em impeachment, mas ninguém fala em como vamos sair dessa crise, como desenhar um novo planejamento de país para reestabelecer o que perdemos e estabelecermos o progresso”, sugeriu. Por outro lado, ele acredita que são nas crises que se encontram as grandes oportunidades. “Na nossa história, soubemos aproveitar todos os momentos de crise do nosso país para alavancar o nosso negócio. Talvez num país desenvolvido, com grande estabilidade, não tivéssemos conseguido construir o que fizemos”, argumentou. Filho de um sobrevivente da Segunda Guerra Mundial, Krigsner diz que herdou a coragem do pai e começou o negócio durante a Ditadura Militar no Brasil. “Esta não foi a primeira e nem será a última crise. Passamos por todas e vamos passar por esta também”, finalizou.

Menos otimista, Joel Malucelli disse que a diferença desta para as outras crises que enfrentou é que nesta, a luz do fim do túnel está apagada. “A crise política é maior que a econômica e quem deveria estar nos mostrando os caminhos para sair dessa situação são justamente as pessoas que estão brigando entre si”, lamentou. Segundo ele, nada está sendo feito para o país progredir. “A única coisa que funciona no Brasil é a cobrança de impostos. Nem o futebol funciona mais”, afirmou. Para Malucelli, se o quadro político for resolvido, o econômico se recupera por si só. Porém, ele não acredita em uma recuperação para os próximos seis meses, mas aposta numa solução para 2017. “O Brasil precisa investir em infraestrutura e educação”, sugeriu.

Para Guimarães, o que assegura a longevidade de uma empresa é a ética. “A ética é importante nos negócios ou fora deles. É o que nos torna humanos”, afirmou. “Um olho na ética e outro no caixa. Não é hora de fazer dívidas e a empresa que operar no prejuízo vai fechar”, alertou o empresário. Sobre o período difícil, ele comemora que sempre saiu das crises melhor do que entrou: “as dificuldades estão aí para serem superadas”, desafiou.

Um dos fundadores do Grupo Positivo e seu ex-presidente por mais de 40 anos, também criticou o quadro político atual: “Lula foi a nossa última ilusão e o povo brasileiro está começando a entender que a ilusão acabou. Precisamos acreditar menos em pessoas. Não temos que esperar um presidente resolver o nosso problema. O Estado não é a solução, mas a sociedade é”, argumentou. “Quem está sendo beneficiado por essa situação não vai querer mudá-la. Quem tem que mudar é o povo brasileiro, que está sendo prejudicado por essa situação”, reforçou. O principal problema do Brasil, segundo Guimarães, é que o governo gasta mais do que arrecada e gasta mal. “Enquanto houver déficit primário, vamos pagar cada vez mais impostos e ver cada vez menos resultados. Precisamos de um Estado mais enxuto, melhor e mais eficiente”, ressaltou.

Promovido pela Escola de Comunicação e Negócios da Universidade Positivo e J.Malucelli Investimentos, o evento marcou também o lançamento do fundo de renda fixa JMalucelli Educa. Seguindo uma linha conservadora, por meio de investimentos em títulos públicos e privados de baixo risco de crédito, o novo fundo reverte 100% do valor líquido da taxa de administração para apoiar projetos e instituições de educação destinados a crianças de baixa renda.

Sobre a Universidade Positivo – A Universidade Positivo (UP) concentra, na Educação Superior, a experiência educacional de mais de quatro décadas do Grupo Positivo. A instituição teve origem em 1988 com as Faculdades Positivo, que, dez anos depois, foram transformadas no Centro Universitário Positivo (UnicenP). Em 2008, foi autorizada pelo Ministério da Educação a ser transformada em Universidade. Atualmente, oferece 54 cursos de Graduação (30 cursos de Bacharelado e Licenciatura e 24 Cursos Superiores de Tecnologia), três programas de Doutorado, quatro programas de Mestrado, centenas de programas de Especialização e MBA e dezenas de programas de Extensão. Em Curitiba, a UP conta com três campus: Ecoville, que ocupa uma área de 424,8 mil metros quadrados, Praça Osório, no centro da cidade, e Mercês – Catarina Labouré, este último dedicado ao curso de Enfermagem. Lançou, em 2013, seu programa de Educação à Distância, com dezenas de polos em todo o país. Segundo as avaliações do Ministério da Educação, é considerada uma das dez melhores universidades privadas do Brasil.

centralpress

fotos/Bruna Zembuski

271590_564879_05_web_
Boguszewski, Guimarães, Krigsner, Malucelli e Mainardes (Bruna Zembuski)
271590_564878_dsc_0096_web_
Miguel Krigsner, Oriovisto Guimarães e Joel Malucelli mostram como atravessaram diversas crises e se mantiveram na liderança por mais de três décadas
271590_564880_dsc_0976_web_
Público lotou o Teatro Positivo – Mini Auditório (Bruna Zembuski)

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui