Natal é tempo de solidariedade

0
122

Por Anderson Luiz Ferreira

Anderson Luiz Ferreira
A época do Natal sempre nos remete a momentos em família, reencontro com os amigos, confraternizações com colegas do trabalho, mas também associa-se a excessos; desde os gastos com a compra de presentes até a fartura da ceia. Manter os costumes culturais é importante, mas, da mesma forma, se faz necessário aproveitar o fim do ano para refletir sobre práticas e comportamentos que nem sempre são positivos e que, ao invés de tornar este período especial, pode nos levar a vícios, fazendo-nos esquecer dos verdadeiros valores da nossa tradição.

A grande família Marista se orienta a partir da profissão de fé cristã e, por isso, o Natal é uma das celebrações mais importantes para todos os seus membros, pois anuncia a chegada de Jesus e tudo o que ele representa para seus seguidores. Entretanto, reconhecemos que é possível todas as pessoas, independentemente de convicções religiosas, se mobilizarem para colocar em prática os valores humanos que este período nos evoca, como a fraternidade, tolerância, compaixão e solidariedade.

Aproveitar o período natalino para realizar ações beneficentes, como arrecadar doações, ou dedicar parte do tempo livre em trabalhos voluntários, visitar  doentes nos hospitais, idosos em casas de repouso; crianças em situação de acolhimento nos abrigos, é um gesto simples, porém faz grande diferença para as pessoas que serão atendidas. E também é uma atitude muito gratificante para quem a pratica, pois fazer o bem sempre é recompensador para si mesmo, e garantia de grande satisfação e bem estar.

Abrir mão do egoísmo e exercer o altruísmo é algo muito mais valioso do que apenas se dedicar ao consumismo desenfreado e desmedido, que lota as lojas todos os fins de ano. Valorizar a simplicidade, os relacionamentos, a aprendizagem a partir do encontro com pessoas diferentes, é uma experiência que todos deveriam se permitir constantemente.

A solidariedade compõe, de forma fundamental, os valores Maristas e se faz presente permanentemente em nossa ação pedagógica. Acreditamos que a educação é instrumento de preparação para a vida, e que por ela constituímos os princípios que formam cidadãos éticos, justos e solidários.

Para praticar o bem no Natal, não precisamos abrir mão de nossos desejos pessoais, dos momentos em família, dos presentes, do amigo secreto e das visitas ao Papai Noel, mas esforçar-se para contribuir com algum ato de caridade, mesmo que pequeno, pode nos estimular a adquirir novos hábitos, incentivando a realização de boas ações durante todo o ano que há de vir.

E cada ato de generosidade nos torna capazes de atuar como agentes de mudança, e nossas práticas podem servir de exemplo para que mais pessoas se sensibilizem, apoiem novas causas, colaborem com quem mais necessita, ampliando a quantidade de interessados e envolvidos na grande corrente do bem e da solidariedade, que carrega em si própria o verdadeiro espírito do Natal.

Anderson Luiz Ferreira é coordenador do Núcleo de Pastoral do Colégio Marista de Londrina. 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.