Número de cadastros em programas de fidelidade cresce 22% em um ano e chega a 67,7 mi

A Associação Brasileira das Empresas de Fidelização, ABEMF, divulgou o primeiro balanço oficial do mercado de fidelidade no Brasil. Os dados, consolidados pela consultoria GS&MD, apontam um aumento de 22% no número de cadastros em programas de fidelidade, em 12 meses, atingindo 67,7 milhões no terceiro trimestre de 2015 (3T15). As informações são referentes às cinco das maiores companhias do segmento, associadas à ABEMF (Dotz, Grupo LTM, Multiplus, Netpoints e Smiles) sem eliminar a sobreposição de membros inscritos em diferentes programas.

No mesmo trimestre (3T15), a quantidade de pontos/milhas emitidos alcançou os 45,2 bilhões, valor 3% superior ao terceiro trimestre do ano anterior. Nos nove primeiros meses do ano, foram acumulados 132,2 bilhões de pontos/milhas, o que representa um aumento ainda maior, de 8,8%, na comparação com o mesmo período de 2014.

As trocas por produtos e serviços também cresceram. Do 3T14 ao 3T15, houve um incremento de quase 14% na quantidade de pontos/milhas resgatados, chegando aos 38,7 bilhões no terceiro trimestre deste ano. Segundo o presidente da ABEMF, Roberto Medeiros, isso é sinal de um maior engajamento dos participantes. “As pessoas estão cada vez mais atentas e dispostas a aproveitar melhor as vantagens dos programas de fidelidade. Principalmente em momentos de retração econômica, os pontos/milhas podem ajudar o consumidor em diferentes resgates, desde uma passagem aérea até itens do cotidiano, como produtos de supermercado, ingressos para cinema, combustível e até o pagamento de contas”, afirma o executivo.

Essa diversificação das opções para trocas, o investimento constante dos players do setor em campanhas informativas e, consequentemente, o engajamento dos participantes associado à entrada de novos consumidores nos programas foram movimentos que possibilitaram os resultados positivos de todo o segmento. Com isso, o faturamento bruto da indústria de fidelização no 3T15 foi de R$ 1,29 bilhão, valor 25,8% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior. “Esse resultado é especialmente expressivo, se considerada a degradação dos indicadores macroeconômicos em nosso país”, esclarece Medeiros.

Outro dado que demonstra a evolução do mercado de fidelização é referente à taxa de breakage, que indica o percentual de pontos/milhas expirados. O número tem se mantido estável, chegando a 16,6% no 3T15. “Essa constância da taxa de breakage, em torno de 17%, está em linha com mercados mais maduros e é mais uma demonstração do nível de engajamento do consumidor participante de programas de fidelidade. Cada vez mais as pessoas acumulam e resgatam seus pontos/milhas. Esse é o verdadeiro objetivo, pois somente dessa forma o cliente descobrirá os reais benefícios da fidelização e acumulará ainda mais, garantindo o desenvolvimento desse modelo de negócios, enfatiza Roberto Medeiros.

 

Sobre a ABEMF

A Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF) nasceu em 2014 com o objetivo de debater questões institucionais e regulatórias do setor, representar os interesses de empresas e profissionais, além de fomentar ações para o fortalecimento e aperfeiçoamento contínuo do mercado brasileiro de fidelização.

Fazem parte da entidade cinco das maiores companhias do segmento no país: Dotz, Grupo LTM, Multiplus, Netpoints e Smiles. Entre as atividades desenvolvidas pela ABEMF estão a divulgação de dados do setor, obtidos por meio de estudos e pesquisas, e a busca por incentivos que beneficiem o mercado e seus associados.

<marcio@mla.com.br>

img-parceiros

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui