Estágio em Tecnologia da Informação: Quando é hora de buscar?

0
221

technology-classroomDentre todas as oportunidades para o setor de tecnologia que a chegada do ano apresenta, o estágio é uma das mais aguardadas pelos estudantes. Quem está concluindo curso já sabe o quão importante é passar por esta etapa para a vida profissional.

E quem atenta para a importância de um estágio bem feito é Rafaela Vita, coordenadora técnica da Klasse! Tech Talents, unidade focada em recrutamento e seleção na área de tecnologia. Para a especialista, os estágios tendem a ser fundamentais para o desenvolvimento de uma carreira por serem a porta de entrada do profissional, mas ela não indica deixar tudo para a última hora.

“Não adianta o estudante, quando estiver quase se formando, lá pelo quarto ou quinto ano, sair buscando uma oportunidade. O ideal é fazer estes estágios no começo do curso ou até a metade. É preciso entender que há um tempo de contrato que está vigente e se o estudante começar a buscar justamente no último ano ou período, ele terá muito pouco tempo. As empresas nem sempre abrem tantas oportunidades para quem está nesta reta final de curso” explica Rafaela Vita.

E chegar neste mercado de trabalho tão competitivo sem ter a experiência do estágio fica um pouco mais difícil. Além da formação acadêmica também é necessária uma vivência mais técnica, na prática.

“Dentro do mercado de tecnologia da informação existem estágios formais, freelancers e projetos pontuais. Quando o profissional está em processo de graduação, todas estas experiências ajudam muito” afirma Rafaela reforçando ainda que grandes gerentes começaram suas carreiras com estágios e projetos de trainees – que também é uma porta de entrada bem interessante.

Estágio x Jobs
Os trabalhos pontuais, ou jobs, podem ser considerados um projeto. O que diferencia um job de um estágio é justamente o contrato. ” Quando se faz ou participa de um projeto é por demanda. Normalmente é informal , não tem carteira assinada e nem o contrato formal de um estágio. Quando o profissional está em uma posição de estagiário, ele possui um contrato via alguma entidade de gestão de estágio. Tem um pouco mais de credibilidade em algumas áreas de TI justamente pela formalidade, mas os trabalhos on demand como os feitos por designers e pelos programadores podem sim ter um grande peso no portfólio final.

Foto: Jisc