Alerta sobre os perigos do uso de mochilas inadequadas e pesadas marca o Dia Mundial da Saúde no colégio Amplação

 

Perigo das mochilas pesadas
Perigo das mochilas pesadas

Nesta semana, o colégio Amplação recebe a fisioterapeuta Mirian Kelly Lopes Schenfeld para um bate-papo com os alunos do 4º e 5º ano. O objetivo da iniciativa – que marcará o Dia Mundial da Saúde (7 de abril) – é alertar as crianças sobre os perigos do uso de mochilas inadequadas e pesadas, além de mostrar como simples cuidados podem evitar futuros problemas para a coluna.

As ações realizadas pelo colégio no tocante à prevenção de riscos para a saúde, ao bem-estar e à qualidade de vida não se restringem à visita da fisioterapeuta. Durante todo o ano os estudantes são sensibilizados sobre esta temática. A substituição das apostilas por materiais menores e modulares é um dos exemplos de práticas aplicadas pela instituição. É durante as aulas de Educação Física que a questão corporal é salientada. “Os pais precisam ficar atentos para os riscos de uma mochila desproporcional e muito pesada. O excesso de peso que se carrega durante toda a extensão do ano letivo faz mal à coluna, afetando, diretamente, a postura da criança”, destaca Maurício João Arcego, professor de Educação Física.

O educador argumenta que os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que 85% das pessoas sentem dores nas costas decorrentes de problemas na coluna. “Essa dor pode estar relacionada com o peso da mochila utilizada na infância e na adolescência”, diz. Para ele, o risco apresentado pelas mochilas não reside apenas em modelos inadequados, mas na forma como são utilizadas. “Um dos erros mais frequentes é quando o estudante usa apenas uma das correias no ombro e sobrecarrega um lado do corpo. A mochila deve ser posicionada 8cm acima da cintura. Cabe à família lembrar que a questão é a saúde e não a moda, a qual sugere que as alças da mochila fiquem compridas, mas os pais precisam coibir essa posição”, afirma.

Com o objetivo de evitar esses futuros transtornos para a saúde, o colégio Amplação fará uma série de ações com os alunos, como a análise dos desvios posturais, aferição do nível de flexibilidade, aumento da carga de alongamentos diários durante as aulas de Educação Física e a implantação de momentos de ginástica laboral pelos demais professores no início de cada aula.

O educador também orienta que é preciso arrumar os objetos de forma que os mais pesados estejam no fundo e próximos ao corpo. A referência é que o peso da mochila não deve ultrapassar o equivalente a 10% do peso da pessoa (por exemplo: um aluno do 5º ano com peso corporal de 40 quilos nunca poderá carregar uma mochila que ultrapasse o peso de 4 quilos). Acergo ainda lembra que tramita no Congresso Nacional um Projeto de Lei – que aguarda aprovação do Senado Federal – que trata desta porcentagem para a correção de tal problema.

Por tudo isso, de acordo com o professor, é fundamental o uso racional do material escolar. “Os estudantes tendem a levar material que não precisam até pela preguiça de arrumar diariamente a mochila apenas com livros e cadernos correspondentes às aulas do dia. A escola deve ser parceira dos pais para evitar que a criança carregue peso excessivo”, explica.

Possíveis problemas para a saúde

Dores nas costas, postura incorreta e desvios na coluna vertebral são apenas alguns dos “efeitos colaterais” acarretados por uma mochila errada. Maurício João Arcego esclarece que o peso em excesso pode dar origem a danos vitalícios e comprometer a qualidade de vida e a mobilidade futura. Segundo o educador, os danos mais comuns são: 

– Cifose (corcunda): há o aumento da curvatura no meio das costas, deixando ombros e pescoço inclinados para a frente, formando, assim, uma espécie de “corcundinha” e ocasionando o surgimento de dores nas costas, braços e mãos.

– Escoliose (desvio lateral): a coluna entorta para um dos lados e deixa um ombro mais alto que o outro. Geralmente acontece quando a pessoa carrega a carga em apenas um dos ombros.

– Lordose (desvio para cima no final da coluna): quando o “bumbum” fica empinado porque há um aumento da curva que fica próximo à base da coluna, ocasionando dores intensas na região dos membros inferiores (pernas). Outro aspecto é o pinçamento do nervo, pois a nossa coluna tem uma espécie de amortecedor entre as vertebras (para inibir o atrito osso com osso).

Saúde corporal desde pequeno

Mas a importância em cuidar da saúde corporal pode começar desde cedo. Por isso, a escola de Educação Infantil Sonho Meu (que faz parte do Grupo Educacional Amplação, junto com o colégio Amplação) realiza atividade periódicas que têm a ludicidade, a brincadeira e a criatividade como elementos-chave para uma vida saudável.

No dia 7 de abril, por exemplo, os pequenos participarão de uma divertida aula com exercícios de alongamento, relaxamento e danças para movimentar o corpo, estimulando um bem-estar físico, psicológico e emocional. “As atividades laborais ajudam os alunos a terem conscientização do seu próprio corpo, pois, desde cedo, já podem adquirir hábitos saudáveis, como respiração, reeducação postural, controle e percepção corporal”, comenta Marileide Mantovani Pfleger, coordenadora da escola.

As ações desenvolvidas nesta quinta-feira fazem parte do projeto Vida Saudável, que tem como objetivo ressaltar a importância de hábitos de higiene corporal e bucal, de educação alimentar e de saúde corporal por meio de práticas educativas lúdicas, como a contação de história, o teatro, a musicalização, os vídeos e os exercícios físicos. O projeto também contará com a presença de profissionais da área da Saúde convidados a conversarem com as crianças.

SERVIÇO:

Palestra – Dia Mundial da Saúde

Data: 07 de abril (13h30)

Palestrante convidada: Fisioterapeuta Mirian Kelly Lopes Schenfeld

Local: Colégio Amplação | Rua Laudelino Ferreira Lopes, 3055, Pinheirinho, Curitiba/PR

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui