Apenas 9% das mulheres pretendem gastar mais com produtos de beleza em 2016

Pesquisa inédita sobre hábitos de consumo de beleza feminina, realizada pelo serviço de assinatura e experimentação Glambox, entrevistou 4.321 mulheres em todo o país

O mercado de beleza, apesar de mais resiliente, também sofrerá (e já sofre) com os efeitos da crise econômica. O serviço de assinatura e experimentação Glambox chegou a essa conclusão após entrevistar 4.321 mulheres, num universo 20 mil cadastradas no serviço. A pesquisa Beauty Plan 2016, desenvolvida pela área de Beauty Intelligence da Glambox, é realizada pela primeira vez no Brasil. Com 11 perguntas, o questionário online foi aplicado de 25 de novembro de 2015 a 4 de janeiro de 2016.

“Queríamos entender qual o Beauty Plan de nossas assinantes e conhecer a sua cesta básica de beleza. Os resultados foram interessantes e poderão ser usados pelas marcas para o planejamento de ações de marketing no futuro. Além disso, demonstra que mesmo com a crise, existem certos cuidados dos quais as mulheres não abrem mão. A pele do rosto é um exemplo”, afirmou Flora Singer, diretora comercial da Glambox.

Em relação à faixa etária das entrevistadas, 37% das mulheres têm de 26 a 32 anos, enquanto 35% delas têm entre 19 e 25 anos; 22%, de 33 a 45 anos; 3%, até 18 anos; e 3%, mais de 45 anos. Já sobre a renda familiar, 34% das entrevistadas têm renda familiar entre R$ 2.001 e R$ 5 mil, enquanto 31% delas têm entre R$ 5.001 e R$ 10 mil; 14%, de R$ 10.001 a R$ 15 mil; 12%, até R$ 2 mil; e 9% mais de R$ 15.001. Sobre a região do País, 61% das Glamgirls ouvidas na pesquisa estão no Sudeste, contra 18% da região Sul; 11%, no Nordeste, 8%, no Centro-Oeste; e 2%, no Norte do Brasil.

Valor mensal

Quando perguntadas sobre o valor mensal gasto com produtos de beleza, sem contabilizar gastos com serviços e procedimentos, 60% afirma ter gasto entre R$ 51 e R$ 200 em 2015. Ao serem perguntadas sobre o plano de gasto para 2016, 9% responderam que pretendem aumentar os gastos, enquanto 52% pretende manter, contra 24%, que irão diminuir o valor mensal. 

Ainda sobre o gasto, 46% responderam que pretendem comprar somente o essencial, contra 18% que pretende pesquisar mais sobre promoções. Neste caso, nenhuma delas respondeu que irão comprar marcas mais baratas para economizar.

Em relação à cesta básica de beleza, além de produtos como shampoo, condicionador e sabonete, a Glambox perguntou: Quais produtos você não deixaria de comprar? Neste quesito, 58% delas responderam que não deixarão de comprar produtos para o cuidado dos fios (como máscara, leave-in, óleos e etc); 57% das mulheres não abrirão mão de maquiagem; 56% de produtos para limpeza facial; e 51%, de perfumes. Para as assinantes, os produtos que ficariam em segundo plano são: produtos específicos para cuidados dos pés (46% das respostas), produtos para cuidados específicos como celulite, estrias e gordura localizada (45%) e produtos específicos para o cuidado das mãos (42%).

Locais de compras

A Glambox também quis saber em que locais de compras as mulheres preferem efetuar a aquisição do produto: 60% das entrevistadas afirmaram variar a comprar entre loja física e online; 15% dizem comprar principalmente em lojas físicas; 13% só faz compras em lojas físicas; 9% prefere comprar pela internet e 1% só efetua as compras pela internet, independente do prazo, produto ou preço.

Para concluir a pesquisa, o serviço de assinatura procurou saber quem são as influenciadoras dessas consumidoras: 39% responderam que confiam mais em blogs de beleza; 37%, em sites especializados; 8%, no site da própria marca; 5%, em revistas; e 2%, em programas de beleza de TV. Para 59% das mulheres ouvidas, a opinião de uma dermatologista é a mais importante. Neste caso, a importância cresce a medida que a idade e a renda aumentam. As blogueiras têm maior importância entre as meninas até 25 anos. Já as amigas são importantes influenciadoras para Glamgirls com mais de 26 anos e mulheres com a renda acima de R$ 5 mil.

“Descobrimos com a pesquisa que, mesmo com a necessidade de conter gastos, a cesta básica de beleza não é tão básica assim”, finalizou Flora.

Como funciona

O serviço de assinatura funciona da seguinte forma: a interessada em adquirir a caixa faz cadastro via internet (www.glambox.com.br), paga o valor mensal de R$ 68 e recebe mensalmente uma caixa contendo de 5 a 7 miniaturas, em tamanho original ou sachês de produtos de beleza de marcas internacionais e nacionais. Diferentemente de outros serviços semelhantes, a Glambox optou por customizar mensalmente suas caixas, criando temas para cada mês do ano. A caixa de março, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, foi em parceria com a Drogaria São Paulo.

 

Sobre a Glambox

A Glambox foi fundada em fevereiro de 2012 para oferecer à mulher a oportunidade de experimentar, todos os meses, produtos de beleza diversificados. A ideia é que as mulheres possam conhecer os produtos e testá-los antes de irem às compras e também descobrir novas marcas e lançamentos. Hoje, o clube de beleza tem mais de 20 mil assinantes e já fez parcerias com mais de 250 marcas de beleza e cosméticos nacionais e internacionais, entre elas: Alfaparf, Amend, Avon, Quem Disse, Berenice?, Bepantol Derma, Bic, Burberry, Calvin Klein, Contém 1g, Cremer, Dove, Duda Molinos, Eudora, Eurofarma, GAP, Giorno Bagno, Giovanna Baby, Granado, Hidrafil, Impala, Jimmy Choo, Kerasys, Kleenex, La Roche-Posay, Lacan, Lancôme, Le Lis Blanc, Linea Sucralose, L´Occitane em Provence, Elsève, Garnier Fructis, L´oréal Paris, Mary Kay, Neutrogena, O Boticário, Payot, Phebo, Racco, Revlon, Roger & Gallet, Sundown, TRESemmé, Vasenol, Vichy, Weleda e muitas outras.

 <[email protected]>