Ecad lança campanha para conscientizar usuários de música nas festas juninas

Em vídeo alegre e inspirado na tradição nordestina, o Ecad mostra a importância do direito autoral nas festas juninas

 post_CampanhaJunina_02

Para valorizar os compositores que têm suas músicas tocadas em milhares de festas juninas espalhadas pelo país, o Ecad lançou uma campanha de conscientização com o tema “Arraiá legal respeita o direito autoral”. A novidade da campanha deste ano é um bem humorado vídeo criado pela Agência Frog e produzido pela Film in Rio. O filme é protagonizado pelo cantor, compositor e instrumentista Sergival Silva e um simpático boneco falante.

Sergival, personalidade da música e da cultura nordestina, toca seu triângulo e canta um repente ao lado de um organizador de festa junina, representado pelo boneco, reforçando para o telespectador a importância do direito autoral para muitos compositores e artistas que só recebem nessa época do ano, quando suas músicas são executadas nos eventos de São João ao redor do país. “Antes de a música embalar a festa, teve o artista que a criou e ele vai querer saber se com o autor você colaborou. Então se liga e reconheça o quanto o músico trabalhou!”, canta Sergival, que explica ainda que, antes de realizar a festa junina, o organizador do evento ou o estabelecimento deve entrar em contato com o Ecad.

A campanha será centrada em ambiente digital, com veiculação nas plataformas Google (YouTube e busca) e Facebook. Também serão utilizados os canais oficiais do Ecad, como banners no site e posts em sua fanpage no Facebook, além do envio de e-mails informativos para mais de 5.000 usuários de música cadastrados na base de dados do Ecad. O vídeo está disponível no site do Ecad e nas suas páginas oficiais nas redes sociais: https://www.youtube.com/watch?v=qBVA7Eh8JzQ.

Vale lembrar que a retribuição autoral deve ser feita sempre que músicas forem tocadas em locais públicos, independentemente de o organizador do evento ser uma entidade pública ou sem fins lucrativos. Festas organizadas por prefeituras, escolas, igrejas, e associações, por exemplo, também devem pagar direitos autorais, pois não estão isentas do pagamento, de acordo com a Lei Autoral.

Em 2015, mais de 13.205 artistas receberam  cerca de R$ 5,3 milhões pela execução pública de suas músicas no segmento de Festas Juninas. O “Rei do Baião”, Luiz Gonzaga, liderou o ranking de autores com maiores rendimentos, seguido de Mario Zan, Tato, Zé Dantas e Palmeira. Os rankings são formados com base nas gravações realizadas pelo Ecad em festejos populares em praças públicas, escolas e igrejas, entre outros locais, que realizaram o pagamento dos direitos autorais.  As obras mais tocadas foram os clássicos “Festa na roça”, “O sanfoneiro só tocava isso”, “Olha pro céu”, “Asa branca” e “Pagode russo”.

Em depoimento à campanha “Vozes em defesa do direito autoral. E que vozes!”, promovida pelo Ecad em parceria com as associações de música, Rosinha Gonzaga, herdeira do “Rei do Baião”, destaca a importância do recolhimento do direito autoral para sua família: “Com suas músicas, meu pai fez o Nordeste ser conhecido em todo o Brasil, e o maior reconhecimento à importância do seu trabalho é o pagamento dos direitos autorais. Muitos não sabem que eu, como herdeira, recebo direitos autorais das músicas do meu pai. Mas o grande problema para a minha família continua sendo a inadimplência, especialmente no Nordeste”.

– Contato da assessoria de Imprensa do Ecad:

Paula Tavares

paula.tavares@maquinacohnwolfe.com

(21) 9 9802-6257

(21) 3478- 3114

Últimas notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui