Em busca de “crédito saudável”, empresário de Medianeira, no Oeste do PR, ganha apoio da Garantioeste

Com planejamento e apoio da SGC, Edvaldo Osmari recuperou as vendas e as finanças da empresa; em cinco anos, garantidora já concedeu 1,4 mil cartas de aval para empresas de micro e pequeno porte de 33 municípios do oeste paranaense

Há cerca de um ano, o empresário do segmento de representação comercial Edvaldo Osmari sentiu os reflexos da crise. Ele é de Medianeira, no oeste do Paraná, mas vende seus produtos em outros estados brasileiros. Com a economia do país retraída, as vendas diminuíram consideravelmente, chegando a até 40% de declínio. O cenário não estava favorável e, quando o empresário percebeu, já estava usando o limite bancário e, com o tempo, uma dívida foi tomando conta das finanças da empresa. 

“Quando percebi, a dívida já estava alta. Então o gerente que cuida da minha conta sugeriu um empréstimo para quitar a dívida, mas havia uma dificuldade, pois eu não tinha bens para deixar em garantia. Foi então que ele me orientou sobre a Garantioeste e foi o que me tirou do sufoco em que estava”, conta Osmari. O empresário ‘trocou’ a dívida com juro alto por um crédito ‘saudável’, com menor taxa e mais prazo para quitar o empréstimo obtido. “Foi o que me deu um fôlego a mais para poder sair vender mais tranquilo”, acrescenta. 

De acordo com o coordenador de Acesso a Serviços Financeiros do Sebrae/PR, Flavio Locatelli Junior, a falta de garantia é um os maiores entraves que o empresário de micro e pequena empresa encontra no momento de busca pelo crédito. “A empresa geralmente não possui bens, patrimônio físico, em nome da pessoa jurídica. E quando se busca um empréstimo, a taxa de juros é calculada levando em consideração a capacidade de pagamento da dívida. Logo, se o empresário não tem como dar essa garantia, sofrerá com juros mais altos”, explica. 

Sociedade Garantidora de Crédito (SGC) é uma solução para o problema de aval ao empréstimo para esses empreendimentos. “O crédito é necessário para a maioria das empresas e quando bem utilizado, torna-se alavanca de crescimento do negócio. A SGC tem o papel de orientar a busca desse crédito saudável, mais barato que em operações bancárias tradicionais e com taxa de juros menores, visto que a garantidora gera uma carta de aval para a instituição financeira”, destaca o presidente da Garantioeste, Khaled Nakka. 

No caso do empresário de Medianeira, a taxa de juros foi de 1,8% ao mês e o prazo de 36 meses para quitar. “Além disso, quando buscamos o crédito direto nos bancos, a burocracia é muito grande, o que também inviabiliza o pedido. Pela Garantioeste, o processo foi muito mais simples e rápido”, lembra Edvaldo Osmari que, agora, consegue concentrar seus esforços na venda dos seus produtos em vez de perder horas ‘correndo atrás’ de dinheiro para quitar a dívida que estava alta. 

Atuação 

Em operação desde 2011, a Sociedade Garantidora de Crédito do Oeste do Paraná (Garantioeste), tem sede em Toledo, mas abrange 50 municípios da região por meio das associações comerciais e parcerias com instituições cooperativas de crédito, como Sicredi e Sicoob. Nesses cinco anos, já proporcionou 1.450 cartas de aval, em um volume de garantia que ultrapassou R$ 35,5 milhões para empresários de 33 município, sendo a principal motivação de pedidos de crédito para operações de Capital de Giro. 

“Estamos aptos a trabalhar junto a todos os municípios da região por meio das entidades parceiras, como o Sebrae/PR; Faciap e Caciopar, com suas associações comerciais; e instituições financeiras. Assim, o empresário interessado pode buscar várias pontes para encontrar o aval da Garantioeste para operações de crédito financeiro”, salienta Khaled Nakka. O telefone da sede da garantidora, que fica na Rua Largo São Vicente de Paulo, no 1.333, 6º Andar, sala 61, no centro de Toledo, é (45) 3055-2604. 

A Garantioeste é uma das seis SGC atuantes no Paraná – estado que possui o maior número de garantidora. “No Brasil, são 11 SGC no total, fazendo com que empresas de micro e pequeno porte consigam negociar condições de pagamento e taxas de juros melhores junto aos bancos. Além disso, é um crédito orientado e acompanhado, o que confere a certeza para o empresário que o crédito realmente é a melhor opção naquela situação”, assegura Flavio Locatelli Junior, do Sebrae/PR.

Deixe uma resposta