É possível estar tendo um ataque cardíaco e não saber?

Um dos principais sintomas de que a pessoa está tendo um ataque cardíaco é sentir um forte aperto no peito, quase como se um elefante estivesse deitado em cima dela. Mas, ainda é possível ter um infarto agudo do miocárdio sem sentir tal pressão? De acordo com a cardiologista Fernanda Tavares, do Hospital Cardiológico Costantini, sim, pode acontecer. “Alguns pesquisadores têm defendido que aproximadamente 45% dos ataques cardíacos são os chamados silenciosos, que não têm sintomas ou possuem sintomas sutis. Por isso, é preciso ficar atento a qualquer desconforto e procurar realizar consultas de rotina com um cardiologista”, comenta.

Fernanda destaca que os sintomas mais conhecidos são pressão ou dor no peito, falta de ar e dor em um ou ambos os braços (muitas vezes o esquerdo), costas, pescoço, mandíbula ou parte superior do estômago. Entretanto, a cardiologista ressalta que se faz necessário prestar atenção nos menos comuns ou facilmente confundidos com outra coisa como pulsação rápida ou irregular, respiração curta, fraqueza intensa, inchaço e suor. “É difícil dizer se os ataques cardíacos silenciosos realmente não têm sintomas ou se as pessoas não os reconhecem. Por isso, precisamos enfatizar que nem sempre ele é rápido e intenso. Na maioria das vezes ele começa devagar e os sinais podem aparecer horas ou até mesmo dias antes do ataque propriamente dito”, explica.

A cardiologista do Hospital Cardiológico Costantini lembra ainda que se a pessoa apresentar algum fator de risco para doenças cardíacas (colesterol ou pressão altos, obesidade, diabetes, uso de tabaco ou histórico familiar) é bom conhecer os possíveis indícios e ficar ainda mais atenta. “É importante entender que esses sintomas podem sim surgir por conta de outras situações e, por isso, não precisa entrar em pânico. O ideal é sempre procurar um cardiologista e manter os exames em dia para diminuir os fatores de risco”, comenta. E continua: “além disso, uma dieta balanceada, a prática de exercícios, o acompanhamento regular com um especialista e o conhecimento destes sinais são uma excelente forma de prevenir um ataque cardíaco”, finaliza.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu