Secretario de Defesa dos EUA diz que mudanças climáticas estão desestabilizando o mundo

General James Mattis

Nem todos no governo Trump são céticos em relação ao clima: o atual secretário de Defesa dos Estados Unidos alertou que as mudanças climáticas já estão desestabilizando algumas regiões do mundo durante sua audiência de confirmação para o cargo. A informação foi revelada pelo site ProPublica, que teve acesso às respostas escritas e que ainda não haviam sido publicadas.

“As mudanças climáticas estão afetando a estabilidade em áreas do mundo onde nossas tropas estão operando hoje”, disse o General James “Mad Dog” Mattis  aos senadores. “É apropriado que os Comando dos Combatentes incorpore a seu planejamento drivers de instabilidade que afetem o ambiente de segurança em suas áreas”.

Perguntado pela senadora Jeanne Shaheen se ele acreditava que “as mudanças climáticas sejam uma ameaça à segurança”, o ex-oficial do Corpo de Fuzileiros Navais respondeu: “As mudanças climáticas podem ser um fator de instabilidade e o Departamento de Defesa deve prestar atenção aos potenciais impactos adversos gerados por esse fenômeno”.  Ela então perguntou como os militares deveriam se preparar “para enfrentar essa ameaça”. “Como eu mencionei acima, a mudança climática é um desafio que requer uma resposta mais ampla, de todo o governo”, respondeu o General. “Se eu for confirmado [como Secretario de Defesa], vou garantir que o Departamento de Defesa desempenhe o seu papel adequado dentro dessa resposta, abordando aspectos de segurança nacional.”  A equipe do Senado confirmou a autenticidade das informações.

O Centro para o Clima e a Segurança (CCS), que reúne oficiais militares aposentados e especialistas em segurança nacional, saudou as palavras de  Mattis sobre os riscos das mudanças climáticas.  “É trabalho do secretário Mattis proteger a nação de todos os tipos de riscos de segurança e ameaças, incluindo a mudança climática. Ele é claramente um Secretário que entende esse trabalho, e por isso é animador, embora não surpreendente, ver seu testemunho”, disse “Francesco” Frank “Femia, Co-Fundador e Presidente do Centro para o Clima e Segurança. “À medida que esta administração desenvolve a sua política em matéria de alterações climáticas, faria bem ter em conta a avaliação do Secretário Mattis, que se aborda o tema de uma forma tão apolítica como possível – e como o Departamento de Defesa sempre fez, em ambos os governos republicano e democrata. O “clima político” não tem qualquer influência sobre a preocupação do Pentágono com a mudança climática, e isso deve ser o caso em todo o governo dos EUA”, completa Caitlin E. Werrell, Co-Fundadora e Presidente do Instituto.

Para o Almirante Samuel J. Locklear III, da Marinha dos EUA (aposentado), Ex-Comandante do Comando do Pacífico dos EUA e Membro do Conselho Consultivo do Centro para o Clima e Segurança, “O testemunho do Secretário Mattis não é surpreendente. A defesa efetiva de nossa nação e nosso significativo interesse nacional exigem que todas as ameaças à nossa segurança sejam consideradas e tratadas, incluindo as reais ameaças colocadas pelas mudanças climáticas. Esperamos que a liderança do Secretário Mattis nesta questão se traduza em políticas dos EUA que nos ajudam a administrar o inevitável e evitar o incontrolável.”

O General Ron Keys, da Força Aérea dos EUA (aposentado), Ex-Comandante do Comando de Combate Aéreo e Membro do Conselho Consultivo do Centro para o Clima e Segurança, lembra que “A mudança do clima já afeta nossa capacidade de estabelecer bases, treinar, testar, mobilizar, implementar e conduzir operações aqui e no estrangeiro. O Departamento de Defesa tem acompanhado os riscos das alterações climáticas desde pelo menos 2003 e eles claramente vêem a instabilidade que ela traz para as situações já precárias em todo o mundo … situações para quais eles precisam estar preparados quando são chamados”.  O Contra-almirante David W. Titley completa: “As alterações climáticas afetam o ambiente físico de funcionamento, a nossa infra-estrutura de defesa e podem inclinar regiões já instáveis ??para o caos e os conflitos. É essencial para a prontidão geral dos militares que esses riscos das mudanças climáticas sejam reconhecidos e gerenciados, assim como o Departamento de Defesa gerencia outras áreas de risco significativo. ”

Nesta coleção de documentos é possível comprovar que as forças armadas norte-americanas estão se planejando para os impactos das mudanças climáticas desde 2003. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.