Seminário discute redução de danos para adolescentes com histórico de abuso de álcool e outras drogas

As estratégias e manejos para o cuidado em liberdade de adolescentes com histórico de uso abusivo de álcool e outras drogas é o tema da sétima edição dos Seminários Propulsão, que ocorre neste dia 21 de junho. A iniciativa, que possibilitará a discussão da importância da redução de danos neste contexto, é fruto da parceria entre o Centro Social Marista Propulsão, o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR), o Sindicato dos Psicólogos do Paraná (SINDYPSI), o Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Associação Brasileira de Saúde Mental (ABRASME) e o Núcleo de Direitos Humanos da PUCPR.

A programação do evento contará com a presença da professora do Departamento de Antropologia da Unicamp, Taniele Rui. Ela é especialista no tema  e estuda as interfaces políticas da associação entre rua, drogas e dispositivos de assistência e controle. Outra palestrante convidada é a antropóloga Roberta Costa, militante do Coletivo DAR, do bloco feminista da Marcha da Maconha SP e da Craco Resiste, coletivo autônomo que atua contra a violência policial na região da Cracolândia.

Posicionamento

As discussões proporcionadas pelo evento se alinham ao posicionamento do Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR). Para a instituição, a ênfase na repressão não é efetiva. A Redução de Danos propõe um olhar voltado para a pessoa e não para a substância, reforçando o princípio da autonomia em uma abordagem humanista que respeita o direito de livre escolha de cada cidadão ou cidadã.

Um dos efeitos da Redução de Danos é a inserção social de quem faz uso abusivo  de drogas. “As pessoas passam a falar sobre suas questões e demandas, o que num contexto de repressão não acontece por conta do medo”, diz a Psicóloga Sandra Fergutz Batista, coordenadora da Comissão de Direitos Humanos do CRP-PR.

Sandra, que dedicou boa parte de sua carreira ao estudo e atuação no âmbito das políticas sobre uso de drogas e Aids, defende que o Estado não está autorizado a intervir em condutas que não envolvem um risco concreto, direto e imediato para terceiros. “Só existem armas e violência na produção e no comércio de maconha, de cocaína e das demais drogas tornadas ilícitas porque o mercado é ilegal. É a ilegalidade que gera a violência, que é o maior dano”, explica.

 

Serviço:

VII Seminários Propulsão

Quando:  21 de junho – das 8h30 às 13 horas

Onde: Auditório Gralha Azul – Campus Botânico da UFPR (Avenida Pref. Lothário Meissner, 632)

Inscrições: www.propulsao.org.br

Últimas notícias