Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais elege paranaense para nova diretoria

No último dia 11 de agosto foi realizada em Belo  Horizonte uma assembleia da ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais – para a eleição de sua nova diretoria. Com a presença de diversas membros do movimento LGBTI brasileiro, a assembleia também elegeu lideranças de direitos humanos do Paraná para o quadro diretivo da rede.

Fundada em 1995 em Curitiba, a ABGLT elegeu pela primeira vez em seus 22 anos uma travesti para a presidência da entidade, a paranaense Symmy Larrat, de 38 anos. Presente em todos os estados do país, a associação reúne mais de 300 organizações e é a maior rede LGBTI da América Latina e Caribe.

Symmy Larrat

Entre as lideranças de direitos humanos paranaenses que foram eleitos, estão Márcio Marins de Jagun, que assumiu a Secretaria Geral, Igo Martini a Secretaria da Região Sul e Heliana Hemeterio a primeira vice-presidência representando as mulheres lésbicas e bissexuais. Membros da Appad, Dom da Terra e Candaces, respectivamente.

Márcio Marins de Jagun – Cenógrafo e figurinista, é ativista para os direitos humanos desde 1989, atualmente é coordenador-geral da Appad (Associação Paranaense da Parada da Diversidade), foi um dos fundadores, em 2002, do grupo Dom da Terra AfroLGBTI. Participa de conselhos de direitos nas áreas de segurança pública, cultura, direitos humanos, promoção da igualdade racial e comunidades tradicionais de matrizes africanas. Participou da coordenação de conferências de direitos para elaboração e monitoramento de políticas públicas.

Heliana Hemeterio – Historiadora, é uma das principais ativistas do país, atua na promoção e defesa de direitos nas áreas de igualdade racial, saúde e de mulheres negras, lésbicas e bissexuais. Divide sua militância nacional tendo como base os estados do Paraná e Rio de Janeiro. Participa da comissão organizadora da 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres, que ocorreu de 17 a 29 de agosto em Brasília.

Igo Martini – Administrador, atua desde 2003 na promoção e defesa dos direitos humanos. Foi coordenador geral e instalou o Conselho Nacional LGBT da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República-SDH, no mesmo ministério coordenou o Programa Federal de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos ameaçados de morte. Na prefeitura de Curitiba foi Secretário Extraordinário de Direitos Humanos e presidente da Comissão Municipal de Direitos Humanos.

 

Sobre a APPAD

Criada em 2004, a APPAD (Associação Paranaense da Parada da Diversidade) é hoje uma das associações de referência no atendimento e defesa dos direitos das população de lésbicas, bissexuais, gays, travestis, transexuais e Intersexuais no Paraná. Organizadora da Parada da Diversidade, que neste ano terá sua 18ª edição, a associação sem fins lucrativos é mantida por voluntários e doadores e hoje realiza ações de promoção e defesa dos direitos humanos em diversas áreas: psico-social, cultural, comunicação e segurança pública para o enfretamento à LGBTIfobia, Racismo e o Machismo.

Em 2016 a Parada da Diversidade de Curitiba contou com mais de 40 mil participantes, que caminharam no Centro Cívico tendo à frente uma ala somente de pais e mães que estiveram presentes pelos direitos dos filhos LGBTI. Neste ano, a parada será realizada dia 5 de novembro, com saída da Praça 19 de dezembro, a Praça da Mulher Nua.

Conheça mais sobre a APPAD

Facebook: https://www.facebook.com/appad.curitiba/

Instagram: @paradalgbt

Twitter: @ParadaLGBTCWB

Comments are closed.