Veja 5 motivos para levar a criança ao otorrino

0
1271

Muitos pais ficam na dúvida sobre quando levar a criança ao médico ou, mais especificamente, ao otorrinopediatra. Será que uma dor de ouvido passa com o tempo ou é melhor uma avaliação médica? E aquela dor de garganta, que certamente será bem corriqueira ao longo da vida, vale uma atenção maior?

 


Veja também:

:: Entrevista: especialista fala sobre as crises alérgicas na primavera
:: Principais causas da perda auditiva em crianças
:: Cinco dicas para prevenir a amigdalite em crianças

De acordo com o otorrinolaringologista Vinicius Ribas Fonseca, da Otorrinos Curitiba, é importante ficar atento às pequenas mudanças que ocorrem com os pequenos. “A avaliação otorrinopediátrica envolve um olhar especializado para problemas especiais de orelha, nariz e garganta e uma avaliação de doenças corriqueiras em crianças com alguma característica especial, como aquelas com síndromes ou doenças especiais”, alertou o médico.

Mas quando procurar um especialista? O doutor Vinicius listou 5 principais motivos para levar a criança a um otorrinopediatra.

1-  Alteração da voz ou da fala: rouquidão, atrasos da fala ou alteração na pronúncia de fonemas são motivos para levar a criança para avaliação do otorrinopediatra. As alterações de voz como rouquidão e aspereza podem ocorrer devido a doenças nas cordas vocais, como nódulos, pólipos e verrugas. Alterações de fala podem ocorrer por atraso na aquisição da linguagem e em crianças que não estejam escutando bem, pois quem não escuta bem (mesmo com perdas auditivas leves) não aprendem bem a pronunciar os fonemas.

2- Obstrução nasal, respiração bucal e roncos: crianças que têm nariz trancado, respiram pela boca, na maioria das vezes, por um motivo de obstrução na via aérea superior e hiperplasia das adenoides e amígdalas (tonsilas palatinas). Pode ser que a criança tenha uma respiração viciosa pela boca por alterações ortodônticas e de fraqueza muscular da face.

3- Infecções de repetição: crianças que têm otites, faringites e sinusites de repetição têm maior suscetibilidade de complicações na infância. As otites podem levar à perfuração timpânica e causar perdas de audição, que mesmo que sejam transitórias (durante a infecção) podem levar a alterações na fala e déficit acadêmico. Sinusites de repetição podem levar ao uso repetido de antibióticos, obstrução nasal crônica e ausência escolar periódica das crianças.

4- Suspeita de perda auditiva: quando a criança pede para repetir o que lhe foi falado, ou quando repete errado aquilo que lhe falaram. Quando entende e escreve algo fora do contexto ou com letras trocadas pode ser um dos sinais de que não está escutando bem. Quando a criança coloca o som da TV mais alto ou quando a professora da escola suspeita que a criança não está escutando bem também devemos levá-la a um otorrinopediatra.

criança-dores-otorrinopediatra-otorrinos-curitiba

5- Massas cervicais: aumento de volume no pescoço por linfonodos (ínguas), nódulos ou cistos no centro ou lateral do pescoço devem ser sempre avaliados por especialistas, principalmente se são duros, poucos móveis e têm crescimento rápido.

As doenças de ouvido, nariz e garganta são bastante comuns na infância. Mas com a prevenção, o cuidado e o diagnóstico correto de um otorrinopediatra, é possível garantir desenvolvimento saudável e qualidade de vida para as crianças.

 

Diretor Técnico: Dr. Ian Selonke CRM-PR 19141 | Otorrinolaringologia