Bens do Hospital Evangélico, Faculdade Evangélica do Paraná e Evangélico Saúde serão avaliados para leilão

Com uma dívida de cerca de R$ 400 milhões, a 9ª Vara do Trabalho de Curitiba determinou a penhora de todos os bens, materiais e imateriais, do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba (HUEC), da Faculdade Evangélica do Paraná (Fepar) e do Evangélico Saúde. Ainda não há previsão para o leilão, mas os bens devem ser avaliados até março pelo leiloeiro público Helcio Kronberg, que já tem experiência com grandes pregões judiciais. No início deste ano, Kronberg foi responsável pelo leilão da massa falida do Shopping Total.

Fundado nos anos 1950, o Hospital Evangélico tinha como entidade mantenedora a Sociedade Evangélica Beneficente de Curitiba (SEB). Até cerca de três anos, a SEB era quem cuidava diretamente da gestão, mas desmandos – incluindo o uso político do estabelecimento – levaram o hospital à insolvência, segundo apurou o Ministério Público do Trabalho. Dívidas trabalhistas acumuladas levaram a Justiça do Trabalho a decretar intervenção, afastando a antiga administração e nomeando interventor. Não havia controle de gastos nem da prestação de serviços e da entrega de suprimentos pelos fornecedores. Porém, intervenção judicial não produziu os resultados esperados e a crise continua.