CFS do Brasil investe em novas plantas para aumentar sua produção de antioxidante tradicional

0
267

De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) a produção de carne bovina deve aumentar em torno de 5% em 2018 com relação ao ano passado. Em 2017, a produção foi de 9,5 milhões de toneladas e para este ano a perspectiva é alcançar em torno de 9,9 milhões de toneladas. Já em suínos, a produção deve chegar a 3,8 milhões de toneladas, crescimento de aproximadamente 3% com relação a 2017. Em aves, conforme dados divulgados pela Associação Brasileira de Proteína Animal, está previsto de 2 a 3% de acréscimo este ano. Os mercados emergentes, como a China, Índia, África do Sul, Oriente Médio e América Latina serão os grandes responsáveis pelo aumento de consumo de proteína animal.

Com o cenário positivo a cadeia se movimenta em busca de novos negócios. A Camlin Fine Sciences (CFS), com sede na Índia e unidades no Brasil, tem investido fortemente no mercado de antioxidante tradicional. “Estamos aplicando R$ 2,8 milhões em uma nova filial no Distrito Industrial de Indaiatuba (SP) para o incremento da capacidade de produção de antioxidantes para o segmento animal no Brasil e na América do Sul. Nossa perspectiva é crescer 35% no mercado nacional e 24% no internacional. Esta unidade de negócio (bovinos, suínos e aves) representa a maior expansão entre todos os segmentos que atuamos”, ressalta Luciano Monteiro, diretor geral da CFS para América do Sul.

“O ano de 2017 foi muito desafiante, mas a perspectiva é crescer em torno de 25% a 35% ao ano entre 2018 e 2021. Desenvolvemos estratégias específicas para produzir novas tecnologias, que possam otimizar este rendimento e produtividade. Investimos em torno de 7% a 10% do faturamento mundial em pesquisas e no desenvolvimento de soluções inovadoras”, ressalta Monteiro.

No Brasil, a CFS com apenas quatro anos já é considerada uma das mais importantes filiais aos olhos dos fundadores indianos. A expectativa de faturamento no ano fiscal corrente é de R$ 46 milhões. Na América do Sul, a CFS está presente com centros de distribuição e/ou fábricas em: Brasil (regiões Sudeste, Sul, Centro-Oeste), Buenos Aires (Argentina); Montevidéu (Uruguai); Santiago (Chile) e Cochabamba (Bolívia).

Benefício, saúde e rentabilidade nos negócios – A alimentação corresponde 60 a 70% dos custos da produção animal, principalmente, porque eles necessitam de nutrientes adequados para ter alto desempenho. “Os antioxidantes aumentam o tempo de prateleira dos alimentos, retardam as perdas sensoriais de aroma, cor e sabor, causadas pela oxidação de óleos e gorduras presentes em sua formulação. Eles ajudam a conservar as propriedades organolépticas e nutricionais dos produtos finais”, ressalta Marina Massocco, analista de Pesquisa & Desenvolvimento para PetFood e Nutrição Animal da CFS do Brasil.

Os antioxidantes mais utilizados são os compostos fenólicos, TBQH (terc-butil hidroquinona), PG (Galato de Propila), BHA e BHT. “Estes aditivos antioxidantes devem ser eficazes na conservação de gordura animal e vegetal e outros alimentos sujeitos ao processo oxidativo. Não deve apresentar alteração na cor, sabor e aroma do alimento aplicado e  ser eficaz em baixas concentrações, além também de ser de fácil aplicação”, acrescenta Massocco.

De acordo com Monteiro, o uso de antioxidantes deve aumentar no mundo, principalmente, porque a Autoridade Europeia para Segurança dos Alimentos suspendeu o uso do aditivo etoxiquim em alimentos para animais. “Como alternativa ao uso de blends de antioxidantes à base de etoxiquim, a CFS oferece blends à base de BHA e BHT que apresentam uma excelente sinergia nos produtos aplicados, como rações e premixes vitamínicos. Essa combinação garante uma proteção contra a oxidação e proporciona confiança ao produtor que exporta seus produtos à esses países”.

Em seu portfólio, a CFS destaca a linha de antioxidantes que tem como princípio ativo o BHA e BHT (ao lado). “A CFS é a única no mundo que tem todo o processo verticalizado na linha de antioxidantes tradicionais com total rastreabilidade no sistema de produção. Destacamos os blends:  Xtendra 32 e o Xtendra 99, os quais proporcionam alto desempenho nos produtos aplicados”, ressalta Marina.

 

Como escolher o antioxidante ideal para o seu processo?

É seguro como aditivo alimentar;

– Resistente às temperaturas diferentes (estabilidade nas condições de processo e armazenamento);

– É eficiente em baixas concentrações;

– Não alterar sabor, cor e aroma do alimento;

– Preço acessível (custo/benefício);

– De fácil aplicação/incorporação ao sistema;

– É aplicável e permitido de acordo com a legislação vigente de cada país.

 

Camlin Fine Sciences (CFS) é um fornecedor de ingredientes de aroma de alta qualidade, antioxidantes e produtos químicos de desempenho. Mercado de atuação: alimentos para humanos e para animais de  companhia, nutrição animal, aquicultura, indústria de graxaria, fragrâncias,biocombustíveis, além de produtos farmacêuticos, tintas, petroquímicas, agroquímicos, têxteis e curtume. Para mais informações, visite www.camlinfs.com.