Inadimplência das empresas sobe em maio com greve dos caminhoneiros, afirma Serasa

Após quatro meses de estabilidade, o número de empresas inadimplentes voltou a subir em maio. Reflexo da paralisação dos caminhoneiros, que acabou afetando várias cadeias produtivas, em maio de 2018 foram registrados 5,5 milhões de CNPJs negativados, aumento de 7,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Na comparação com abril deste ano, houve aumento de 1,9%. Em relação ao montante das dívidas, houve aumento de 4,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

Inadimplência por setores

Em maio/2018, o setor de serviços continuou a figurar com o único segmento a aumentar sua participação entre as empresas em situação de inadimplência: ficou com 47,9% do total e avançou 1,2 ponto percentual na comparação com maio/2017. O comércio representou 42,7% dos CNPJs negativados, uma redução de 1,0 ponto percentual na comparação ano a ano. Já a indústria registrou queda de 0,2 ponto em relação ao mesmo mês do ano passado:

Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, a fragilidade do crescimento econômico aliada aos impactos negativos sobre a cadeias produtivas da paralização dos caminhoneiros, afetou a situação financeira das empresas, elevando os níveis de inadimplemento.

Empresas renegociam R$ 101 milhões na ferramenta Serasa Recupera

De abril de 2017 a abril de 2018, 100 mil companhias inadimplentes buscaram renegociar suas dívidas atrasadas e sair do vermelho por meio do serviço online de renegociação de dívidas para empresas, o Serasa Recupera (www.serasarecupera.com.br), num montante de R$ 101 milhões. As negociações concentraram-se no período da tarde, das 12h às 17h, às terças e quartas-feiras.

As pequenas empresas lideraram as renegociações, com 96%. As médias representaram 3% e a grandes, 1%. A maioria das empresas que limpou o nome veio do setor de serviços, com 54%. Na sequência, o comércio, com 37% e a indústria, com 9%.

A ferramenta conta com 3.014 credores, de diversos portes e segmentos, e oferece um ambiente ágil e seguro para o fechamento de acordos. Com isso, mais devedores podem sair do vermelho e retomar o acesso ao crédito. As consultas para o devedor são gratuitas e o cadastro na ferramenta permite que essas empresas sejam avisadas sobre a inclusão de novos débitos com os credores participantes.

“A ferramenta oferece um ambiente ágil, que propícia uma alternativa adicional para credores renegociarem as dívidas com seus clientes. Com isso, mais empresas devedoras podem sair do vermelho e retomar o acesso ao crédito”, diz o diretor de Pessoa Jurídica da Serasa, Marcelo Leal.

[email protected]

Comments are closed.