Venda de consórcios de motos cresce 28% em Curitiba no primeiro quadrimestre

O Sistema de Consórcios conta atualmente com pouco mais de 6 milhões de consorciados ativos no setor de automotores, segundo a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC). Em função disso, vem evoluindo e se aprimorando, possibilitando ao consumidor fazer seu planejamento e escolher entre os vários modelos de veículos leves ou motos desejados, novos ou seminovos, por ocasião da contemplação por sorteio ou por lance. De acordo com a Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), o primeiro quadrimestre deste ano do mercado de vendas de veículos seminovos e usados foi positivo em 5,1%, quando comparado ao mesmo período de 2017. Um avanço de 16,8% é apontado quando a comercialização de abril de 2018 é comparada com a do ano passado.

E é também nessa perspectiva que muitos paranaenses na Região Metropolitana de Curitiba apostam para adquirir a moto própria. Segundo o Consórcio Araucária (www.consorcioaraucária.com.br), empresa associada à BR Consórcios, no primeiro quadrimestre de 2018 a venda de consórcios de motocicletas cresceu 28%, seguidos pelos de automóveis, com 17%. No geral, o Consórcio Araucária, em todas as categorias, teve um aumento de vendas em 6% nos primeiros quatro meses do ano.

O gerente regional do Consórcio Araucária, Alecsander Daré, destaca que em 2017 a categoria de motos foi o tipo de consórcio mais vendido em relação a 2016, com 20% de aumento nas vendas em Curitiba e região. Ele destaque que a flexibilidade e possibilidade de crédito sem a cobrança dos juros praticados pelo financiamento tradicional têm atraído cada vez mais o consumidor. Isso reforça as vantagens desse tipo de modalidade de investimento para aquisição de bens.

Sonho realizado com consórcio – O desejo de Paulo Ricardo Rodrigues, 28 anos, era ter uma moto. Pesquisou vários tipos de financiamentos tradicionais que demonstraram juros altos e chegou à conclusão que o sistema de consórcio era o mais vantajoso.  “Adquiri o consórcio de moto no início de 2017, dei um lance com o valor que eu já tinha guardado e fui contemplado em julho do ano passado. Já estou usando a minha moto e, futuramente, pretendo construir meu patrimônio dessa maneira. O próximo passo é realizar o consórcio para um automóvel”, explica Paulo.

Daré explica que hoje o consórcio no geral é composto de taxa de administração (custo operacional para a administradora administrar os grupos, formação de assembleias, entrega de bens, entre outras atividades), fundo de reserva (utilizado para suprir a inadimplência do grupo) e o seguro de vida (que cobre morte ou invalidez permanente do consorciado). Os grupos de consórcios reúnem pessoas físicas ou jurídicas, promovidas exclusivamente por uma administradora devidamente credenciada pelo Banco Central para atuação neste segmento, com prazo de duração previamente estabelecido, com a finalidade de propiciar a seus integrantes a aquisição de bens móveis, imóveis e serviços, por meio de autofinanciamento.

Consórcio Araucária no Paraná e Santa Catarina  O Consórcio Araucária, associado à BR Consórcios, com atuação no Paraná e Santa Catarina, obteve crescimento de 11% nas vendas gerais de consórcios no primeiro quadrimestre de 2018, na comparação com o mesmo período em 2017. O destaque ficou para o segmento de motocicletas, que cresceu 26%, automóveis 12% e imóveis, com 9%. Até o final do ano, a empresa espera incrementar em torno de 35% sua produção.

Só no mês de abril, o Consórcio Araucária comemorou um dos mais promissores resultados em volume de negócios. Comparado com o mesmo período de 2017, teve um acréscimo de 75%, com destaque para o consórcio de imóveis, que registrou crescimento de 105%, à frente das motocicletas (54%) e automóveis (22%).

caique@coregroup.com.br

Comments are closed.