Com o prazo para adequação ao e-Social se esgotando, empresas estão correndo para preparar tudo e evitar punições.  A 1ª fase do e-Social começou em janeiro de 2018 e mesmo agora, no mês de agosto, continuam havendo mudanças como:

- Inserções de novas tabelas
- Alterações de layouts  e
- Prazos de entrega, programas que deveriam estar disponíveis para uso e testes, como a geração das guias de FGTS.

Maria Aparecida Miranda, Coordenadora de Departamento de Pessoal da Ewave do Brasil, explica que para as empresas do 2º grupo (as que possuíram faturamento anual inferior a 78 milhões no ano de 2016) o prazo está apenas começando e finaliza em Janeiro de 2019 - caso não haja mais alterações até este prazo final.

“Tenho participado de palestras, cursos e até mesmo grupos de discussão do e-Social e o que se percebe infelizmente é muito despreparo, preocupação e insegurança com a efetivação do e-Social, até porque existem muitas alterações no dia a dia.”

Este cenário tem provocado certa preocupação para os empresários de forma geral, sem contar o risco de multas que todas as empresas estarão sujeitas a partir de agora. É preciso ter confiança pois o e-Social é complexo, volumoso e fiscalizador,  mas precisamos estudar muito estas mudanças.”

O que vai mudar na cultura das empresas?

Maria Aparecida explica os principais pontos  a partir desta implantação:
- O famoso jeitinho brasileiro deixará de existir,  pois muitos processos do e-Social respeitarão a cronologia;
- As admissões no final do mês retroativa ao primeiro dia útil não poderão mais ocorrer;
- Exames pré admissionais,  na prática e no envio, acontecerão antes da admissão/
- A inserção de rubricas na folha de pagamento demandará  maior cuidado em suas incidências, pois os órgãos do governo (Caixa Econômica, INSS, Ministério do Trabalho, Receita Federal) terão tudo que precisar em tempo real e nem precisarão solicitar a visita de um fiscal nas empresas.

A especialista da Ewave explica que este é o momento ideal para as empresas organizarem seus processos internos.

Pessoal de TI:  atenção
Assim como qualquer outro profissional, quem trabalha com Tecnologia da Informação  precisa se adequar ao e-Social já que novo formato de informações exigidas pelo governo não atingirá um público específico, mas sim todos os ramos de atividades e profissionais:


“Muitos profissionais de TI possuem a experiência e nem sempre a escolaridade compatível com o cargo, este ítem a partir de agora passará a ser observado pontualmente por ocasião do envio dos eventos periódicos, onde o e-Social fará batimento do cargo x escolaridade necessária conforme previamente definido pelos CBO – Classificação Brasileira de Ocupações.” alerta a especialista.

             
Objetivos do e-Social

A especialista explica que o e-Social tem três objetivos:

1. Aos trabalhadores: Garantir direitos
“A ideia é fazer com que as empresas cumpram na íntegra o que está escrito na legislação”

2. As Empresas: Simplificar os processos
Hoje as empresas possuem muitos processos a serem realizados e entregues periodicamente, tais como: CAGED, GFIP, DIRF, RAIS, INFORMES DE RENDIMENTOS.  A meta do governo, é que através da implantação do e-Social estes processos sejam simplificados, pois não haverá necessidade de serem entregues periodicamente e até mesmo repetidamente para órgãos diversos, mas será entregue uma única vez, (mensalmente para um único  Banco de Dados) chamado e-Social e que a partir deste Banco, todos os órgãos que precisarem de qualquer informação buscará neste Banco de Dados:

“A ideia é muito inteligente, porém,  até que se torne funcional, acredita-se que demore cinco anos. As empresas já sabem que simplificará porém, até chegar lá, teremos muito trabalho.”

3. O próprio Governo
Há alguns anos o Governo buscava uma forma de incrementar sua arrecadação, e encontrou o e-Social. A legislação do e-social já existe desde 2014, porém só entrou em vigor este ano:

“ Tudo isto tem provocado grande insegurança nas Empresas, mas agora não temos como voltar atrás. O e-Social é uma realidade.” completa.

Foto: Divulgação - Pexels

Sobre a Ewave
A Ewave do Brasil, parte do grupo israelense Ewave, atua no mercado brasileiro desde 2006 sendo um dos principais fornecedores de serviços de soluções de tecnologia do país em desenvolvimento e integração de sistemas, serviços de hunting e alocação de profissionais de TI. A Ewave trabalha em parceria com os principais fornecedores mundiais de plataformas tecnológicas como IBM, Microsoft, Oracle, EMC e VMware além de ser premium partner da IBM, atestando a excelência na entrega de serviços e tecnologias IBM.

Fonte: KAKOI Comunicação

 

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu