Como aumentar os glúteos de forma segura

As mulheres brasileiras são reconhecidas mundialmente como aquelas com as nádegas mais bonitas do planeta. Mas, nem todas nascem com o bumbum dos sonhos. Dependendo do tipo físico e da genética, mesmo com treinos intensos de musculação, muitas não conseguem modelar os glúteos. A boa notícia é que existem técnicas seguras para modelar e melhorar a estética das nádegas.

O aumento dos glúteos é chamado de gluteoplastia. Segundo o cirurgião plástico, Dr. Luiz Molina, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, há dois procedimentos seguros e aprovados pela SBCP que podem ser realizados para aumentar e/ou remodelar as nádegas.

“A gluteoplastia de aumento pode ser feita com a utilização de tecidos do próprio corpo, como gordura, retalhos dermogordurosos ou ainda retalho muscular. Também pode ser feita com implantes de silicone. Há casos em que é necessário combinar as duas técnicas, ou seja, usar implantes e fazer algum tipo de lipoenxertia”, comenta o Dr. Molina.

Em muitos casos, para se chegar à forma desejada, mais arredondada, é preciso combinar as técnicas ou ainda fazer o levantamento das nádegas (lifting). Mas isso varia de paciente para paciente. “O mais importante é que a mulher entenda que toda cirurgia apresenta riscos. Assim deve procurar informações sobre a segurança da cirurgia, os riscos e escolher um profissional devidamente habilitado e treinado para fazer o procedimento”, diz o especialista.

Como funciona
Os implantes de silicone para as nádegas podem ser ovais ou redondos e são feitos do mesmo material das próteses das mamas, com ótimo perfil de segurança. “Atualmente, no Brasil, o plano intramuscular é o mais utilizado. O cirurgião realiza uma incisão de mais ou menos 7 cm entre as nádegas e implanta a prótese dentro do músculo glúteo maior”, explica Dr. Molina.

Uma dúvida recorrente das mulheres, segundo o cirurgião, é em relação ao tamanho da prótese. “A recomendação sempre será escolher próteses que esteticamente promovam um resultado mais natural possível, o mesmo que ocorre com as próteses de mamas”.

E se precisar remodelar também?
Em muitos casos a prótese isoladamente não irá promover o resultado esperado. Nestes casos, o médico pode usar a enxertia de gordura, uma técnica mundialmente consagrada.

“Nós colhemos gordura, que é tratada, filtrada, decantada e selecionada para a reintrodução. Esse procedimento é chamado de lipoenxertia e pode contribuir para um resultado mais satisfatório quando há pouco tecido gorduroso nas nádegas”, conta Dr. Molina. O médico ressalta que a lipoenxertia pode ser usada isoladamente, ou seja, como uma primeira escolha antes da prótese.

Solução para bumbum caído
Em outros casos, a questão não é o tamanho apenas. “Por conta da idade, da perda de grande quantidade de peso ou da qualidade da pele, por exemplo, pode acontecer das nádegas caírem. Nestes casos, a cirurgia indicada é a gluteoplastia com lifting ou ainda o lifting em conjunto com preenchimento de retalho dermogorduroso. A escolha da técnica é feita pelo médico, com base no perfil individual de cada mulher”, diz Dr. Molina.

Há outras soluções?
Atualmente, quando se fala em segurança e procedimentos aprovados no Brasil para aumento ou remodelagem das nádegas, há somente o implante de próteses, o lifting e a lipoenxertia. Lembrando que as próteses podem ser retiradas e os enxertos com tecidos autólogos (do próprio paciente) são reabsorvidos, em parte, pelo organismo.

Como qualquer cirurgia, os riscos estão presentes e devem ser informados para o paciente no momento da consulta. Além disso, a gluteoplastia ou a lipoenxertia devem ser feitos em ambiente hospitalar, seguindo todas as normas e legislações existentes no Brasil, por um médico cirurgião plástico com título de especialista em cirurgia plástica.

(leda@agenciahealth.com.br)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER


spot_img