Dores nas articulações: homens jovens são os mais impactados por uma doença ainda pouco conhecida

A Espondilite Anquilosante é uma doença inflamatória e crônica que afeta a coluna vertebral e outras articulações, como os quadris e ombros. Ela atinge 1 a cada 100 pessoas da população2, sendo a maioria homens de 20 a 40 anos1-2.

Se não tratada adequadamente, o quadro de inflamação pode evoluir até a perda parcial ou total dos movimentos2-3. Além de prejudicarem as articulações, as inflamações causam dores constantes e impactam a qualidade de vida do paciente2-3. Porém, algumas atitudes podem ajudar a melhorar a convivência com a doença.

“Os primeiros registros da espondilite anquilosante na humanidade foram identificados em esqueletos de faraós, que apresentavam sinais da doença e deformações. A enfermidade causa fortes dores nas costas e podem ser amplificadas quando a pessoa fica muito tempo em repouso. Assim, a principal recomendação é manter-se ativo e buscar o tratamento mais adequado para controlar e impedir a progressão da doença”, explica o reumatologista e coordenador da área de espondilite anquilosante da Sociedade Brasileira de Reumatologia, Dr. Marcelo Pinheiro.

Em janeiro de 2018, o SUS anunciou a incorporação de um novo tratamento para pacientes com espondilite anquilosante. Trata-se do biológico secuquinumabe, que deve chegar no sistema de saúde público em breve8. Esse tipo de medicamento comprovou que consegue parar o avanço da doença por 4 anos em quase 80% dos pacientes tratados7.

Confiram abaixo dicas de como minimizar as dores e melhorar a qualidade de vida.

  • Movimente-se!Pode parecer que é uma má ideia se movimentar quando as dores nas articulações estão incomodando, porém em doenças como as de espondilite anquilosante o exercício é a melhor recomendação4. Quanto mais tempo parado, mais as dores das inflamações vão aparecer. Evite ficar muito tempo em repouso4, seja no trabalho, lendo ou assistindo TV.
  • Alongue-se com cuidadoCom as articulações afetadas, é preciso um acompanhamento constante do reumatologista e aquecimento antes de exercícios e alongamentos. Uma caminhada leve antes de iniciar os exercícios pode ajudar.
  • Atividade física ideal deve ser avaliada com um especialistaOs exercícios de baixo impacto são os mais recomendados, como a natação5. Porém, somente o reumatologista poderá avaliar como estão as condições das articulações para realizar cada tipo de exercício.
  • Mantenha o peso adequado para a sua alturaO peso acima do adequado para a sua estrutura pode aumentar a pressão sobre as articulações de forma excessiva4.
  • Tenha uma alimentação adequadaAlimentos ricos em ômega-3 e cálcio podem ajudar a manter as articulações mais saudáveis6. Identifique alimentos como salmão, linhaça, vegetais e produtos lácteos para fazer parte da sua alimentação.

Referências

  1. Ministério da Saúde. Portaria Nº 640, de 24 de julho de 2014. Disponível em:http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2014/julho/25/pcdt-espondilite-anquilosante-2014.pdf. Acesso em: 18 de janeiro de 2018.
  2. Sociedade Brasileira de Reumatologia. Espondilite Anquilosante. Disponível em: https://www.reumatologia.org.br/download/espondilite-anquilosante. Acesso em: março de 2018
  3. Dougados M, Baeten D. Spondyloarthritis. Lancet. 2011 Jun 18;377(9783):2127-37.
  4. Cartilha Espondilite Anquilosante. Sociedade Brasileira de Reumatologia. Disponível em: https://www.reumatologia.org.br/download/espondilite-anquilosante. Acesso em: 25/7/2018
  5. WebMed. Disponível em:https://www.webmd.com/back-pain/guide/ankylosing-spondylitis#2
    Acesso em:17/7/2018
  6. Sundström B1, Stålnacke K, Hagfors L, Johansson G. Supplementation of omega-3 fatty acids in patients with ankylosing spondylitis. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17062435. Acesso em: 17/7/2018.
  7. Braun J et al. Secukinumab demonstrates low radiographic progression and sustained efficacy through 4 years in patients with active ankylosing spondylitis. Late breaking abstract presented at the 2017 ACR/ARHP Annual Meeting, San Diego, USA. 7th November 2017.
  8. Diário Oficial da União (DOU), de 17 de janeiro de 2018. Edição 12 - Seção 1, p137. Portaria Nº 65, de 15 de janeiro de 2018.
  9. Ebringer, A. (2012). History of the Origin of Ankylosing Spondylitis. In A. Ebringer, Ankylosing spondylitis and Klebsiella, (pp 7-13). London: Springer

(angelita.goncalves@conteudonet.com)

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu