Saiba como prevenir as quedas dos idosos

Não adianta tentar frear o processo natural: todos nós vamos envelhecer um dia. São os cabelos brancos que surgem, a capacidade auditiva que diminui, e o equilíbrio, que era nosso maior orgulho, começa a ficar na ‘corda bamba’. E não é para menos: o envelhecimento compromete a habilidade do sistema nervoso central em realizar o processamento dos sinais vestibulares, visuais e proprioceptivos, ou seja, a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo.

De acordo com a otorrinolaringologista do Hospital Otorrinos Curitiba Franciane Vargas, diversos fatores podem contribuir para a falta de equilíbrio nos idosos, que se torna mais frequente a partir dos 70 anos.

queda-idosos-equilibrio-doenças

A falta de equilíbrio nos idosos pode ter diferentes causas.

“As principais causas de falta de equilíbrio nos idosos são as patologias crônico-degenerativas, com a perda de massa e força muscular; distúrbios do sono; abuso de bebidas alcoólicas; medicamentos psicoativos; baixa acuidade auditiva; baixa acuidade visual (capacidade do olho para distinguir detalhes espaciais); hipertensão; anemia; diabetes; hipotireoidismo e sedentarismo”, explica a especialista.

Leia também:

:: Deficiência auditiva pode aumentar casos de isolamento social nos idosos

:: Perda auditiva nos idosos: fique atento aos sinais

:: Sofre com tontura? Cuidado com a cafeína e açúcar em excesso!

Sintomas
As tonturas, aponta Franciane, são sintomas extremamente frequentes em todo o mundo, ocorrendo em todas as faixas etárias, principalmente em adultos e idosos. “Até os 65 anos de idade, a tontura é considerada o segundo sintoma de maior prevalência mundial. Após esta idade, seria o sintoma mais comum”, acrescenta.

Todo idoso vai ter problema com equilíbrio?
Essa é uma dúvida muito comum entre os pacientes. Vale lembrar que aproximadamente 35% dos idosos caem ao menos uma vez por ano. A lesão acidental é a sexta causa de mortalidade em pessoas idosas.

As doenças que acometem os idosos podem ser fatores coadjuvantes nos distúrbios de equilíbrio. A otorrino listou algumas causas que predispõem a quedas:

excesso-remedios-causas-queda-idosos

Cuidado com o excesso de medicamentos!

:: Tipos e excesso de medicamentos: cerca de 3.000 medicamentos são citados como possíveis causadores de tontura e vertigem. Os efeitos indesejáveis causados pelo excesso e pela interação medicamentosa são incontáveis;

:: Visão: as causas principais de visão prejudicada são glaucoma, degeneração macular, retinopatia diabética;

:: Ortopedia: artrite, osteoporose, sequelas de fraturas, anquiloses (rigidez completa ou parcial de uma articulação);

:: Cardiovascular: hipertensão, cardiopatias;

:: Neurológico: história de Acidente Vascular Cerebral, insuficiência vertebrobasilar, esclerose múltipla;

:: Endocrinológica: aumento de incidência de diabetes trazendo consequências à retina e ao labirinto, distúrbios da tireoide, obesidade;

:: Sedentarismo.

Previna as quedas
Os familiares devem ficar atentos aos sinais da falta de equilíbrio nos idosos. A queda costuma ser o principal indicativo e, caso isso aconteça com frequência, é importante uma avaliação médica rigorosa.

tapete-banheiro-quedas-idosos

No banheiro, prefira os tapetes antiderrapantes.

E para preveni-la, a família tem papel fundamental nesse processo, como observar a disposição dos móveis em casa, o tipo de calçado utilizado, se há tapetes no ambiente, entre outros.

“Todo cuidado é pouco. Em casa, elimine objetos e móveis desnecessários. Evite o uso de roupas folgadas e longas nos idosos que possam enganchar em objetos ou móveis. Atente, também, para os animais domésticos, seus brinquedos e recipientes com água. Outra dica importante são as escadas e os tapetes muito lisos. No banho, vale usar os tapetes antiderrapantes. Verifique, ainda, se os calçados estão bem adaptados aos pés, e nunca levante no escuro. Providencie, se possível, um interruptor de luz ao lado da cama ou um abajur”, orienta a especialista.

Treine o equilíbrio!
Pode parecer estranho, mas é possível, sim, “treinar” o equilíbrio. Segundo a otorrino, a prática esportiva em geral melhora o equilíbrio corporal, como exercícios para o fortalecimento corporal, desenvolvimento da agilidade, coordenação e força muscular.

idoso-atividade-fisica-equilibrio

A atividade física regular ajuda no equilíbrio.

“Vale lembrar, ainda, que quando o paciente cuida da saúde, os problemas com o desequilíbrio são amenizados. As dicas principais são: manter uma dieta saudável com ingestão de cálcio e vitamina D, reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas, consultar um otorrinolaringologista e cuidar da audição. Manter-se sempre ativo e tomar as medicações corretas indicadas pelo médico é fundamental para uma vida mais tranquila, com qualidade e feliz”, finaliza Franciane.

 

 

Diretor Técnico: Dr. Ian Selonke CRM-PR 19141 | Otorrinolaringologia

Comments are closed.