Espaço para o licenciado em Geografia e a modalidade a distância no Censo da Educação Superior

Conforme o Censo da Educação Superior, o ensino a distância (EaD) tem se destacado cada vez mais no país, tanto no número de alunos matriculados, como no aumento da oferta de cursos, ao comparar os anos de 2016 e 2017. Um dos indícios da adaptabilidade dos estudantes ao novo formato de aprendizado é o aumento proporcional no número de concluintes no EaD, o que demonstra uma melhor adaptação dos alunos à modalidade e uma melhoria nos serviços oferecidos pelas Instituições de Ensino Superior (IES) que propiciam maiores chances de os alunos concluírem os cursos.

O número de cursos presenciais ainda supera os cursos EaD, o primeiro apresenta 67,7%, enquanto o segundo, 33,3%. Entretanto, considerando a quantidade de ingressantes de 2017 em relação ao ano de 2016, esses cursos apresentaram um acréscimo de 27,6%, enquanto os presenciais registraram um aumento de 0,8%. Ainda, esse percentual de ingressos apresentou, entre 2007 e 2017, um aumento de 19% (passou de 1.808.970 para 2.152.752 alunos) nos cursos presenciais, enquanto os cursos de graduação à distância apresentaram um incremento de 226% (de 329.271 para 1.073.497 alunos). A participação percentual de ingressantes na modalidade EaD foi de 15,4% no ano de 2007, enquanto em 2017 registrou-se 33,3%.

As licenciaturas merecem destaque no rol de cursos EaD oferecidos no Brasil, principalmente em função da ampliação dos postos de trabalho para professores do ensino básico. Dessa forma, podemos mencionar a grande chance de colocação no mercado para os licenciados em Geografia. Além de observarmos uma porcentagem insuficiente de profissionais licenciados, há também uma demanda de mercado nos setores públicos e privados da Educação Básica. De acordo com o Ministério da Educação faltam aproximadamente 17 mil professores da disciplina de Geografia no Brasil.

Os cursos de licenciatura à distância superam os cursos de bacharelado. Para a licenciatura em Geografia, por exemplo, foram apresentados 42 cursos de formação de professores e apenas um curso de bacharelado. Das 80.640 vagas oferecidas de formação de professores em Geografia, entre IES públicas e privadas, houve 35.631 candidatos inscritos e 22.609, matriculados. Destes, apenas 2.360 concluíram a graduação.

Dos alunos matriculados na modalidade EaD em 2017, apenas 9,4% eram oriundos de instituições públicas, enquanto 90,6%, de instituições privadas. Em relação à quantidade de ingressos nos cursos de graduação em geral, a maior parte das matrículas foi efetuada em instituições privadas, 81,7%, em contrapartida às IES públicas, que apresentaram 18,3% de matrículas. Diferentemente dos dados de 2016 para alunos concluintes na modalidade a distância, que foi de 19,7%, no ano de 2017 houve uma variação positiva, subindo para 21%.

Autoras: Renata Adriana Garbossa é coordenadora dos Cursos de Licenciatura e Bacharelado do Centro Universitário Internacional Uninter; Larissa Warnavin é professora dos Cursos de Licenciatura e Bacharelado do Centro Universitário Internacional Uninter.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu