Grupo Opet vence categoria inédita do Prêmio Práticas Inovadoras do Sinepe

O Sindicato das Escolas Particulares do Paraná (Sinepe) realizou na última sexta-feira (9) mais uma edição do Prêmio Sinepe/PR de Práticas Inovadoras em Educação. Finalista em cinco categorias, o Grupo Educacional Opet venceu a categoria inédita Inovação em Inclusão com o projeto “Gastronomia e Mídias na Interação Social” – realizado no campus Rebouças com uma turma de oito alunas com Síndrome de Down e Síndrome de Sotos.

“Além das aulas de gastronomia com as professoras Camila Pazello e Raquel Zarpellon, interdisciplinares que abarcam aspectos históricos e geográficos, temos também aulas de fotografia e informática com os professores Ramon Maia, Helena Streppel e Rogeria Nassarden. É o nosso diferencial, no modelo curso livre com atividades três vezes por semana, atendendo jovens especiais com idades entre 19 e 24 anos. E todos os profissionais envolvidos são treinados pela Clínica Cognitiva”, conta a psicopedagoga Deborah de Araújo Maia, coordenadora do projeto que teve início em outubro de 2017.

Foram finalistas ainda os projetos Cidade Mirim (Inovação Pedagógica) e Seminar (Inovação em Sustentabilidade), ambos do Colégio Opet, e os projetos Reutilização do Óleo de Cozinha (Inovação Pedagógica) e Diálogos entre a Prática e os Princípios da Educação do Campo (Inovação em Sustentabilidade), da UniOpet.

Educador homenageado

Nas últimas três edições do prêmio, o Sinepe/PR vem homenageando profissionais que tenham histórias inspiradoras na educação, como a professora Maria Luiza Xavier Cordeiro (2016) e o professor Oscar Alves (2017). Na edição 2018, o homenageado foi o professor José Antonio Karam, fundador do Grupo Opet.

Nascido em Ponta Grossa em 1946, José Antonio Karam é casado com Maria Regina Veríssimo Karam desde 1970, tem três filhos e sete netas. Além de sua atuação no Grupo Opet, que fundou em 1973, é diretor de ensino superior do Sinepe/PR.

“O amor e a habilidade com os números e o diálogo, por ser descendente de sírios, tão importantes aos imigrantes que se dedicaram ao comércio, contaminaram Karam de uma forma diferente. Ele até trabalhou com comércio, mas acabou se direcionando para a educação. Estudou, formou-se e, ainda muito jovem, passou a dar aulas de matemática e estatística. Até que, há 45 anos, já em Curitiba, fundou o Grupo Opet”, relembra a professora Esther Cristina Pereira, presidente do Sinepe/PR.

No início, a “Organização Paranaense de Ensinos Técnicos” – Opet – era uma pequena escola de cursos livres na área de administração e práticas de escritório. Foi também, pioneira no ensino de informática no Paraná e uma das primeiras do Brasil. A escola cresceu, expandiu suas atividades para o ensino regular e passou a oferecer cursos superiores. Atualmente, o Grupo Educacional Opet é formado por colégios, um centro universitário com cursos de graduação, pós-graduação, ensino a distância e editora.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu