Tendências em Educação: pais buscam formação humanista

EM 2019, PAIS BUSCAM UMA PEDAGOGIA PARA A VIDA

 

Muito mais que lúdico ou instigante à busca de novos conhecimentos, o Método Montessori, criado no século 20 por Maria Montessori e adotado pelo Colégio Sion Curitiba há mais de 50 anos, está em evidência na sociedade atual, por proporcionar a crianças e jovens uma formação holística, em que conceitos como senso crítico, engajamento socioambiental, compartilhamento e senso de coletividade fazem naturalmente parte do dia a dia do aluno

 

Tendências em Educação: pais buscam formação humanista
Sandra e Ricardo Hirata com o filho Leonardo: “O Sion tem um posicionamento bem aberto na formação do ser”. Crédito foto: Divulgação

 

Atualmente é comum encontrar no mercado jogos, brincadeiras e até decoração para o quarto infantil inspirados na Metodologia Montessori. Além disso, veículos de comunicação e os principais blogs voltados a pais e filhos trazem cada vez mais artigos com dicas e orientações com base na educação montessoriana. A famosa Tabela Montessori, por exemplo, que traz diretrizes de forma simples e clara de tarefas que os filhos podem fazer sozinhos, contemplando diferentes faixas etárias, dos 2 aos 14 anos de idade, vem sendo adotada de forma crescente pelos pais, para estimular o desenvolvimento de características como responsabilidade e comprometimento em seus filhos.

 

Qual o segredo para neste momento, mais de 110 anos depois de ter sido criado, o Método Montessori se mostrar tão atual? “Hoje vivemos em uma sociedade digital, uma sociedade das informações. Não podemos ir contra, mas sim agregar novas formas de educar e de agir. Se, de um lado, a sociedade está tão focada na era digital, de outro, há uma preocupação muito grande em relação às emoções e aos aspectos interpessoais. E cabe também à escola fazer este papel, de trabalhar os valores junto com a família, porque a educação é a união das instituições familiares, escolares, de todas as instituições. O foco é este: educar o aluno para a vida, para que tenha os instrumentos básicos para poder entrar nesta sociedade. A Metodologia Montessori, trabalha muito nesta linha pedagógica, considerada bastante vanguardista quando da sua criação”, aponta Lia Beatriz Munhoz da Rocha, coordenadora do Ensino Fundamental I do Colégio Sion Curitiba.

 

O foco na educação para a vida está no centro da metodologia montessoriana. “O Método Montessori, adotado pelo Sion Curitiba há mais de 50 anos, foca na autonomia, na liberdade, na tomada de decisão, para que a criança e o adolescente tenham resiliência e desenvoltura para saber lidar com situação diversas. Junto com isso, transmite os conhecimentos fundamentais contemplados no currículo escolar”, assinala.

 

FORMAÇÃO DO SER

Tais atributos vem levando cada vez mais pais a buscar escolas que tragam aos filhos uma formação não apenas técnica, mas também humanista, como é o enfoque do Método Montessori. É o caso de Sandra Soffner Hirata. Ela e o marido, Ricardo Hirata, se mudaram recentemente para Curitiba, optando por matricular seu filho, Leonardo, no Ensino Infantil do Colégio Sion. O bom ambiente ao desenvolvimento do aluno proporcionado pela escola também contou pontos.

 

“Fizemos uma busca grande de escolas. Além de atuar na área de recursos humanos, motivo pelo qual vim para Curitiba, faço um trabalho de radioestesia [técnica voltada ao equilíbrio energético]. Fiz a medição energética com todas as escolas que estávamos avaliando para o Leonardo. Sou terapeuta também e fiz este match de compatibilidade energética. O Sion deu 100% de compatibilidade com nosso filho, considerando aspectos de sua personalidade e seu comportamento. Com isso, entendemos que o Sion seria excelente para o nosso filho pela forma de aprendizado, por estimular a espontaneidade e a liberdade de pensamento. O Leonardo é muito questionador, e tem espaço para isso na escola”, relata Sandra Hirata. “O Sion tem um posicionamento bem aberto na formação do ser”, afirma.

 

Para Angélica Domingues Werner, a instituição de ensino deve dialogar com os valores da família. “A escola é uma extensão da casa, então, é muito importante que esteja alinhada com os valores que ensinamos em nosso lar”, considera. “Nossos valores dialogam muito com a metodologia do Sion. Procuramos uma escola da Metodologia Montessori para o Pedro, que é como procuramos educar em casa, ensinando-o a ser independente, a aprender a fazer as coisas sozinho”, detalha.

 

FOTO Angélica Werner e família
Angélica e Rafael Werner com o filho Pedro: “A escola é uma extensão da casa, então, é muito importante que esteja alinhada com os valores que ensinamos em nosso lar”. Foto: Divulgação

 

“Conheci a Metodologia Montessori quanto tive o Pedro. Comecei a pesquisar sobre educação para escolher a escolinha e me deparei com esta metodologia. Procuramos então uma escola que tivesse este conceito. O Pedro iniciou em 2018 na escola com 2 anos, e optamos pelo Método Montessori”, salienta Angélica Werner. “Meu marido, Rafael Werner, estudou no Sion a vida inteira. Isso também pesou em nossa decisão”, revela. “Ainda assim pesquisamos várias escolas. No Sion, encontramos a localização e a metodologia que estávamos procurando. E também o ambiente, que é mais aberto. Queríamos um local onde nosso filho pudesse pisar na grama, ter contato com a natureza, e encontramos isso no Sion.”

 

RELAÇÃO PARA TODA A VIDA

Quem estuda ou estudou no Colégio Sion Curitiba estabelece um vínculo duradouro. É o que conta Maria Bernadete Bettega, presidente da Associação dos Ex-Alunos do Colégio Sion. Ela informa que a associação realiza diversas ações sociais. “Entrei no Sion no pré-primário, com cinco ou seis anos. O colégio deixou um grande legado para minha vida”, enfatiza. “Meus filhos também foram para o Sion. A criança aprende, se desenvolve muito com o Método Montessori e com a proposta de psicomotricidade Ramain, também adotada pela escola. Além disso, desenvolvemos um laço afetivo muito forte com a escola. Até hoje conservo as amizades feitas no Sion. Minhas melhores amigas estudaram lá!”, complementa.

 

Tendências em Educação: pais buscam formação humanista

FOTO Maria Bernadette Bettega_02
Maria Bernadette Bettega na primeira comunhão, quando aluna do Sion, e na atualidade, presidente da Associação dos Ex-Alunos: ”Desenvolvemos um laço afetivo muito forte com a escola”. Foto: Divulgação

 

Como pontua Aura Maria de Paula Soares Valente, supervisora do Ensino Fundamental 2 e do Ensino Médio do Colégio Sion Curitiba, o envolvimento com o entorno e a comunidade é um aspecto-chave na educação de bases montessorianas. “As transformações sociais de que tanto necessitamos em nosso país acontecerão a partir da educação das crianças e dos jovens para um novo mundo”, observa. “Esta é a concepção educacional defendida por Maria Montessori e pelo carisma de Sion. Os desenvolvimentos físico, cognitivo, afetivo e social, intrinsecamente interligados, devem ser trabalhados em todas as suas potencialidades nas crianças e nos jovens, com vistas à construção de um mundo melhor, mais pacífico e humano.”

 

BOX 1

3 dicas para uma volta às aulas produtiva

As férias de verão terminam e os alunos ainda estão naquele ritmo de novidade e menos rotina deste período tão especial e aguardado. Mas, para aproveitar o aprendizado proporcionado na escola e sentir-se menos cansado com a retomada do dia a dia, é importante se preparar para a volta às aulas. “Nossos professores e equipe pedagógica estão ansiosos para receber os alunos, esperando-os com alegria e de braços abertos para iniciar um novo ano letivo, com muito aprendizado e novas descobertas. Sejam todos bem-vindos!”, frisa Aura Maria de Paula Soares Valente, supervisora do Ensino Fundamental 2 e do Ensino Médio do Colégio Sion Curitiba.

Ela traz 3 dicas-chaves para uma retornar à rotina escolar com leveza e produtividade:

  1. Equilíbrio em casa: toda tranquilidade é bem-vinda no início de ano letivo
  2. Segurança emocional: os pais, ao passar segurança e confiança aos filhos, já reduzem bastante a ansiedade dos primeiros dias de aula
  3. Retomada de horários: é importante que o horário de dormir seja restabelecido, para não chegar ao primeiro dia de aula com o organismo desregulado quanto ao sono.

 

 

BOX 2

Conheça a Tabela Montessori

 

TABELA MONTESSORI

 

As tarefas, por faixa etária, que crianças e jovens podem fazer sozinhos para ajudar em casa, desenvolvendo atributos como independência, autonomia, iniciativa, responsabilidade, atenção, concentração, raciocínio, organização, senso de compartilhamento, noção espacial, sociabilidade e habilidades técnicas e estéticas

 

2 a 3 anos 4 a 5 anos 6 a 8 anos 9 a 11 anos 12 a 14 anos
Guardar sapatos Guardar roupas Tirar o lixo da casa Limpar espelhos Passar pano no chão
Guardar brinquedos Arrumar a cama Lavar louça Preparar lanches rápidos Limpar banheiros
Tirar a própria roupa Separar o lixo Pendurar roupa no varal de chão Fazer lista do mercado Separar contas a pagar
Colocar roupa suja no cesto Guardar parte da louça Varrer Trocar roupa de cama Cuidar das plantas
Limpar pequenas superfícies Ajudar a pôr a mesa Passar aspirador Cuidar de animais de estimação Cuidar de irmãos mais novos
Pegar frutas e legumes da fruteira Tirar o pó Lavar o quintal Ajudar no preparo do jantar Preparar pequenas refeições
Tirar o prato da mesa Colocar roupa na máquina Pôr e tirar a mesa Limpar móveis Lavar roupa
Colocar os guardanapos na mesa Regar plantas Guardar compras Guardar louça Fazer compras rápidas

Últimas notícias