Nota Fiscal de Serviços eletrônica: quem sai na frente, leva vantagem

Ainda são muitos os passos para a implantação da NFSe em âmbito Federal, mas quem sai na frente pode se beneficiar. A TecnoSpeed participa do projeto do Governo e tem tudo para mostrar o caminho

A TecnoSpeed, reconhecida como “A Casa do Desenvolvedor de Softwares” e especialista na preparação para emissão de documentos fiscais eletrônicos oficiais, não deu apenas um, mas dois passos à frente quando o assunto é a padronização da Nota Fiscal de Serviços eletrônica.

A empresa maringaense participa de um seleto grupo de empresas que está ajudando o Governo Federal na definição dos requisitos do projeto da NFSe Nacional. Além disso, desde o surgimento das primeiras demandas, criou o Padrão Único NFSe, uma solução definitiva para implementar a emissão de NFSe no software do contribuinte, compatível com mais de 1.000 prefeituras.

A NFSe, assim como a NFS de papel, é emitida em operações de prestação de serviço em que incide o ISS, Imposto Sobre Serviço, um tributo de ordem municipal, arrecadado pelas prefeituras.

A NFSe Nacional é um projeto do Governo Federal para a criação de um padrão nacional da Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, em um layout único com validade em todo o país. Anunciado em 2016, o projeto é um esforço conjunto entre a Receita Federal e a Abrasf, para reduzir a dificuldade dos empresários e desenvolvedores com os múltiplos padrões municipais de NFSe e assim simplificar as integrações com as prefeituras para algo semelhante ao modelo 55, da NF-e, agilizando e aperfeiçoando a tarefa de contribuir com o Imposto Sobre Serviços.

Apesar de algumas cidades já possuírem em seus softwares a preparação para a NFSe e até já utilizarem esse serviço, faz-se necessário homologar um software para cada novo município atendido, desenvolvendo um novo layout de NFSe de acordo com as regras específicas do sistema da prefeitura. O padrão único desenvolvido pela TecnoSpeed acaba com essa dificuldade de desenvolvedores, contadores e contribuintes.

Além da falta de padronização (tipo de obstáculo que a TecnoSpeed já resolveu), a implantação definitiva da NFSe ainda terá que enfrentar barreiras que vão desde a particularidade de cada região (como sinal irregular de Internet) até fatores políticos, já que cada prefeitura detém total autonomia sobre o recolhimento e cobrança do imposto. Terceirizar esse recolhimento para um sistema federal significa abrir mão (no mínimo parcialmente) do controle sobre este processo.

Sim, a implantação da NFSe nacional ainda levará bastante tempo. Ainda há prefeituras que não contam sequer com Webservices disponíveis e estão acostumadas com a Nota de Serviço de papel. É provável que a adesão das prefeituras seja lenta e ainda serão encontrados múltiplos padrões de prefeituras por um tempo.

O Padrão Único NFSe, solução definitiva para implementar a emissão de NFSe está disponível no NFSe TecnoSpeed e no PlugNotas.

A implantação definitiva ainda deve demorar, mas quem sai na frente como a TecnoSpeed, leva vantagem. Visite o Blog da TecnoSpeed e saia na frente também.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com