Autorregulação na área de compliance na Saúde é destaque na SAHE 2019

O Fórum de Ética e Compliance na Saúde, realizado
na SAHE 2019 – South America Health Exhbition, contou com a participação direta
do Instituto Ética Saúde. O presidente, Gláucio Pegurin Libório, integrou o
Comitê que definiu os temas e palestrantes. Já o diretor executivo, Carlos
Eduardo Gouvêa, apresentou o painel ‘Perspectivas de autorregulação na área de
compliance em saúde - o caso do IES’, com destaque para o recém-lançado
QualIES, o primeiro
programa de avaliação do nível de maturidade de Sistemas de Compliance no
setor. O evento foi entre os dias 12 e 14 de março, em São Paulo.

Durante
a solenidade de abertura, Libório parabenizou a sensibilidade dos organizadores
em promover dentro da SAHE um Fórum de Compliance. “Este é um tema extremamente
relevante, tanto para a área da saúde quanto para o país como um todo”,
destacou.

No
painel sobre Ética e Compliance, Carlos Eduardo Gouvêa, explicou que o IES é
uma entidade que reúne praticamente todos os players do setor – à exceção,
ainda, dos planos de saúde – e que busca um ambiente de concorrência justa e
transparente, por meio de condutas éticas entre todos, para a sustentabilidade
da saúde público e privada.

Ele
também detalhou os eixos de atuação, apresentou os integrantes dos conselhos de
Ética e Consultivo; explicou sobre o Canal de Denúncias e as delações mais
prevalentes; além dos encaminhamentos para os órgãos do governo com quem o IES
tem acordos de cooperação firmados. “É importante a troca de experiências com
os órgãos reguladores, que muitas vezes não conhecem os detalhes do setor da
saúde. Assim como quem trabalha no mercado também não tem conhecimento pleno
sobre a forma de atuação no combate a corrupção destes órgãos”, enfatizou o
diretor executivo.

Gouvêa
explicou ainda que o monitoramento do compliance é feito de dois modos:
autoavaliação anual das associadas e por meio do QualIES, pioneiro na saúde. “O IES e as principais empresas de auditoria do mundo
definiram um novo modelo de check-list para mensurar o grau de maturidade dos
programas de integridade de uma companhia. O projeto é uma referência para todo
o setor, que passa a enxergar o tema de forma homogênea e mais madura”,
acrescentou. Estão homologadas para realizar as revisões dentro do
QualIES:
Deloitte, Ernst & Young, Grant Thornton, KPMG e PwC. “A classificação da
maturidade dos Sistemas de Integridade vai de 1 a 5, de acordo com critérios e
testes padronizados que avaliam gestão; políticas e procedimentos;
treinamentos; terceiros/parceiros de negócios; monitoramento e auditoria;
registros contábeis/testes de transação; e canal de denúncia”, elencou o
diretor executivo do IES.

A iniciativa inédita no mercado brasileiro será
apresentada agora em fóruns de saúde internacionais. “O IES tem procurado levar
este exemplo de esforço conjunto pra outros países. No Brasil, o projeto de
combate à corrupção na saúde começou pela iniciativa privada, mas existem
governos pelo mundo que querem trazer pra dentro de seus mercados iniciativas
como a nossa. Independentemente de quem promova, o fundamental é tornar o setor
mais sustentável e perene para todos”, finalizou Carlos Eduardo Gouvêa.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com