Preço médio do bilhete para reservas de voos deve cair 4% até abril, segundo estudo da CWT

0
58

O CWT Solutions Group, braço de consultoria da CWT, prevê que a média global de preços de passagens aéreas (ATP – Average Ticket Prices) deve cair para cerca de US$ 673 em abril – queda de pouco mais de 4% em relação aos níveis de fevereiro. Esse é um dos destaques da terceira edição do levantamento bimestral Air Trends Report, que utiliza um algoritmo proprietário para prever as mudanças.

De acordo com a pesquisa, o preço médio subiu aproximadamente 6% mês a mês em janeiro, e depois mais 3% em fevereiro, chegando a US$ 702. Isso foi, em grande parte, causado pela implementação de novas políticas comerciais e modelos de gerenciamento de receita por parte de companhias aéreas de todo o mundo, o que elevou as tarifas aéreas.

“Prevemos uma tendência contínua de aumento no preço médio do bilhete ao longo de  2019”, diz Christophe Renard, Vice-Presidente do CWT Solutions Group. “Uma das razões é que mais companhias aéreas estão procurando adotar o padrão New Distribution Capability (NDC) da IATA como meio de gerar mais receitas auxiliares, como a seleção de assentos e taxas de bagagem. As ferramentas de rastreamento de preços pós-reserva podem ser uma forma eficaz para as empresas otimizarem o custo de passagens mais caras”.

O uso de ferramentas de reserva online (Online Booking Tools – OBTs) continua aumentando gradualmente, à medida que os principais provedores de OBTs tendem a melhorar a experiência do usuário, especialmente em aplicativos móveis. Também têm sido realizados esforços para melhorar o conteúdo disponível por meio desses canais. Ao mesmo tempo, as equipes de gestão de viagens corporativas estão incentivando seus viajantes a reservar através de OBTs e aplicativos móveis.

O uso de OBTs permaneceu estável – em torno de 48% globalmente em janeiro e fevereiro, após um aumento de 6% de outubro a dezembro. A previsão é de que volte a subir em março e abril, com a estimativa de que mais de 50% de todas as reservas do período sejam feitas através de OBTs pela primeira vez na história.

O relatório também prevê que o comportamento de compra antecipada dos viajantes irá piorar nos próximos dois meses. A aplicação mais rigorosa das políticas de viagens, como resultado das considerações orçamentárias de final de ano, resultou em um melhor comportamento de compra antecipada em dezembro, e isso foi transportado para janeiro e fevereiro – com aproximadamente 47% dos bilhetes reservados mais de 14 dias antes da viagem. Com as empresas agora mais flexíveis em relação às restrições de viagens, a expectativa é de queda para 43% em março e abril.

“Para manter um controle sobre os custos, os gestores de viagens são aconselhados a salientar a importância de reservar com antecedência, seja como uma mensagem exibida no OBT ou através de comunicações direcionadas para viajantes individuais”, explica Renard. “Também é importante garantir que as OBTs sejam configuradas adequadamente para refletir a política de viagens da organização ou, ainda, sob medida para cada mercado”.

Comments are closed.