Defesa da Saúde Mental é pauta do IV Seminário de Atenção Psicossocial

O Conselho Regional de Psicologia (CRP-SC) promoverá nos dias 1, 2 e 3 de julho a quarta edição do Seminário de Atenção Psicossocial, no Centrosul, em Florianópolis. O evento reúne profissionais, usuários, militantes da luta antimanicomial, estudantes, entidades da Psicologia, universidades e movimentos sociais organizados que formam a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), para debater os caminhos e as melhorias no cuidado integral das(os) usuárias(os).

“O Seminário é resultado da articulação de um coletivo formado entre entidades, profissionais e demais interessados na defesa dessa importante Política Pública de Saúde Mental. Entendemos que o encontro traz a potência necessária para enfrentarmos os recuos da atual conjuntura em Saúde Mental”, avalia Jaira Terezinha da Silva Rodrigues, conselheira do CRP-SC e integrante da comissão organizadora do evento.

Jaira se refere a nova proposta do atual Governo Federal de Política de Saúde Mental que está na contramão das legislações que implementaram a Reforma Psiquiátrica no Brasil e também de diversos dispositivos de defesa dos Direitos Humanos consolidados internacionalmente “Os impactos dos retrocessos são desastrosos e colocam em risco toda a Rede de Atenção Psicossocial”, alerta.

O Ministério da Saúde publicou recentemente a Nota Técnica Nº 11/2019, chamada de “Nova Saúde Mental”, incentivando a internação de longa permanência em instituições como hospitais psiquiátricos e comunidades terapêuticas, em detrimento do cuidado em liberdade, com o fortalecimento de vínculos familiares, comunitários e baseado em práticas de redução de danos.

Leia mais: http://www.crpsc.org.br/noticias/cfp-manifesta-repudio-a-nota-tecnica-nova-saude-mental-publicada-pelo-ministerio-da-saude

Programação

A programação do evento apresentará os seguintes eixos:

  • Saúde mental nos seus diferentes pontos de atenção;
  • Política de estruturação da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS);
  • O modo psicossocial: os avanços nas tecnologias de cuidado
  • Protagonismo dos movimentos sociais e dos lugares de expressão do fenômeno da loucura na sociedade.

Nos três dias do Seminário, serão realizadas conferências, mostras e demais apresentações sobre os diversos temas, como a humanização e a assistência integral, os tipos de relação entre componentes da RAPS e pontos de atenção, os avanços nas tecnologias de cuidado entre outros temas. Ao todo, mais de 13 entidades e organizações são parceiras do evento.

Saiba mais sobre a programação:

http://www.crpsc.org.br/iv-seminario-de-atencao-psicossocial

Sociedade organizada e programação intensa

Para a conselheira do CRP-SC, de modo a evitar mais retrocessos, a sociedade civil precisa se organizar e se movimentar para se fazer ouvir e pressionar as autoridades em torno da pauta. Todas(os), profissionais da RAPS, usuárias(os) dos serviços de Saúde Mental, movimentos sociais, militantes da luta antimanicomial, pesquisadoras(es) e estudiosas(os) da área, precisam somar esforços em prol deste debate, dando grande visibilidade aos avanços já conquistados, além de exigir a revogação das normativas propostas pelo atual governo”, defende.

O CRP-SC, por meio do Eixo Saúde e em parceria com outros Conselhos Profissionais de Saúde, associações de usuárias(os), e diferentes entidades e interessadas(os) nos serviços de saúde mental vêm participando de uma programação constante em torno da temática. Antes de organizar o Seminário, a entidade participou de várias conferências municipais de Saúde, etapas da Conferência Estadual de Saúde, que será realizada nos dias 04, 05 e 06 de junho, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). “As conferências são instâncias propositivas e deliberativas de controle social e as propostas aprovadas servirão como diretrizes para os gestores municipais, estaduais e federais entenderem as demandas da sociedade”, argumenta.

Saiba mais sobre as conferências de saúde

10ª Conferência de São José (nota enviada para aprovação da CCS)

10ª Conferência de Florianópolis (nota enviada para aprovação da CCS)

Além das conferências, outros eventos estão previstos até o final do semestre, como o XII Encontro Catarinense de Saúde Mental promovido pela Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme), entre 1 a 3 de maio, na UFSC, juntamente com o Pré-Evento do IV Seminário de Atenção Psicossocial, com atividades relacionadas à temática da Saúde, dos Direitos Humanos e da Comissão Mulheres. Também será realizada a Conferência Livre, promovida pela Comissão de Saúde dos Conselhos Profissionais de Saúde e Associação dos Conselhos Profissionais (Ascop), prevista para o dia 4 de maio, no Senac Prainha em Florianópolis.

Em maio, até o dia 18, data em que se comemora nacionalmente a Luta Antimanicomial existem outros eventos programados: a realização de uma Audiência Pública na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) no dia 16; a articulação do Fórum Parlamentar de Saúde Mental, a exposição “Memória da Loucura”, entre outras atividades. “As informações sobre a programação podem ser acessadas nos meios de comunicação social do Conselho, das entidades participantes e dos apoiadores destas ações tão significativas para a Psicologia catarinense e nacional. Somente com a organização popular é que poderemos neutralizar os retrocessos que estão em curso”, conclui Jaira.

Comments are closed.