Páscoa com varejo conectado vende muito mais

0
24

As datas festivas são ótimas ocasiões para ampliar as vendas no comércio. A expectativa da Associação Paranaense de Supermercados (APRAS) é que a Páscoa traga um incremento nas vendas de 10% em relação ao mesmo período de 2018. Temperaturas mais amenas, distanciamento das férias e da volta às aulas também ajudam a aquecer o mercado que busca superar a recessão dos últimos três anos.

Segundo Fabíola Paes, especialista em varejo e uma das fundadoras da Neomode – startup voltada para soluções omnichannel para o mercado varejista, embora a data ainda seja sinônimo de chocolate ela já movimenta outras áreas importantes do comércio em todo Brasil.

“Alimentação, brinquedos temáticos, itens para casa e decoração, bebidas e vestuário – principalmente no Sul onde a troca da estação tem impacto mais forte -, são produtos que ganham visibilidade neste período onde é comum a troca de presentes, a reunião da família e dos amigos em confraternizações em torno da mesa. Dentro deste cenário, um varejo conectado pode vender até 20% a mais”, argumenta a especialista que também atua como professora da ESPM e no MBA de Varejo e Mercado na USP/Esalq.

Trabalhar do jeito certo

Para Fabíola, os comerciantes que oferecerem diferentes linhas de produtos, souberem agrupar o mix de ofertas e disponibilizá-los ao cliente de maneira adequada – por meio de todos os canais de vendas (e-commerce, aplicativos e lojas físicas) – terão resultados mais expressivos do que a concorrência.

Conforme estudo do Euromonitor, 47% dos consumidores conectados vão até as lojas físicas com o objetivo de experimentar ou ver algo pessoalmente. Por isso, a orientação é aproveitar o que se tem em estoque e explorar o momento para mostrar que a Páscoa pode ir além do chocolate e dos produtos sazonais. “A loja virtual ajuda a física e o ponto de venda físico (PDV), por sua vez, impulsiona a loja virtual”, enfatiza.

“Atualmente não dá para trabalhar a Páscoa apenas com a tradicional ‘parreira de ovos’ e os bolsões de ofertas miúdas criadas no ponto de venda (PDV). Ela ‘acontece’ também no aplicativo do celular, mostrando ambientes decorados com o que se tem em loja, bebidas que ‘casam’ com o chocolate ou que acentuam ainda mais o sabor do bacalhau, além das novidades e ofertas em si que podem ser trabalhadas diariamente conforme o estoque e a concorrência”, declara. 

Fabíola Paes traz outras dicas interessantes sobre o tema. Confira:

  1. A Páscoa favorece o setor alimentício, mas as demais áreas do varejo também podem ganhar.  Dentro de um novo conceito de loja física, que dialoga com outros canais de venda como o e-commerce, os aplicativos e assistentes virtuais, o PDV precisa ter um design que estimule os sentidos e facilite o acesso.
  2. Aproveite o conhecimento que se tem sobre o comportamento do cliente, os preços da concorrência e crie promoções (flash sales) irrecusáveis com prazos específicos, ampliando a visibilidade e a conversão em compras para a sua empresa.
  3. Lembre que o smartphone é uma ferramenta incrível para auxiliar o varejo a alcançar potenciais clientes com o envio de pushes e ofertas personalizadas, de acordo com sua geolocalização ou perfil.
  4. Invista na opção Clique & Retire, onde o consumidor realiza a compra online (via aplicativo, e-commerce ou assistente virtual) e retira o pedido diretamente na loja física, sem enfrentar filas. Isso atrai público ao PDV e diminui valores em taxas de entrega e fretes.
  5. Observe que no universo do varejo não existe mais diferença entre o mundo físico, o on-line e o off-line. Por isso, investir em inovação, conectividade e relacionamento são pré-requisitos fundamentais para alcançar bons resultados no faturamento deste período.

Comments are closed.