Expedicionários da FEB serão homenageados na final da Recopa

Três integrantes da Força Expedicionária Brasileira (FEB), que estiveram na Segunda Guerra Mundial, estão com seus lugares reservados para assistirem à primeira partida da Recopa, no jogo entre o Athletico-PR e o River Plate. A partida contra o time argentino será na próxima quarta-feira (22), às 21h30, na Arena da Baixada, em Curitiba.

O Brasil enviou para os campos de batalha da Itália 25 mil combatentes, sendo que 1.500 eram paranaenses. Não retornaram ao país, deixando seu sangue em solo europeu 467 heróis, sendo 28 do Paraná.

Minutos antes do início do jogo, os febianos estarão em destaque no campo para receberem a homenagem. Com mais de 90 anos, estes senhores são a história viva da participação do Brasil na Grande Guerra.

Os heróis irão acompanhar, juntamente com um público esperado de 42 mil pessoas, a execução da “Canção do Expedicionário” na voz da cantora paranaense Fran Tenório. Ela estará ao lado da banda de música da 5ª Divisão de Exército. O jogo será exibido para mais de 100 países e a homenagem é uma parceria da 5ª Região Militar (5ª RM) e da Liga Paranaense do Expedicionário (LPE) com o Club Athletico Paranaense, com objetivo de homenagear os heróis de guerra. 

O Museu do Expedicionário

O Museu do Expedicionário ocupa a segunda posição entre os mais visitados do Paraná e recebe um público mensal de 3.200 visitantes. O Museu abriga um dos maiores acervos sobre a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial, com cerca de 25 mil itens, dentre armas, munição, equipamentos, uniformes, bandeiras, documentos, fotos e publicações da época.  Está localizado na Rua Comendador Macedo, 655, no Alto da XV e possui entrada franca.

O Brasil foi o único país da América do Sul a enviar tropas para combater o nazifascismo.

A LPE

A LPE é uma instituição criada pelos ex-combatentes em 1946, que congregava e assistia os Expedicionários do estado do Paraná e as famílias daqueles que perderam suas vidas nos campos de batalha. Ainda hoje, a Legião trabalha arduamente para manter viva a memória desses heróis. “Nosso trabalho não termina. Levantamos fundos para manter a Legião em funcionamento, por meio de convênios e apoiamos o Exército na preservação da memória dos Expedicionários paranaenses. No total de 1.500 paranaenses que foram para a Guerra, 28 deles não retornaram para seus lares”, afirma a Presidente da LPE e filha de combatente, Rachel Madureira Règnier.
<[email protected]>

Comments are closed.