Pela primeira vez, empregado de carreira assume Diretoria Técnica Executiva de Itaipu

A nomeação de Celso Villar Torino foi publicada nesta terça-feira, 18, no Diário Oficial da União. ( Foto Alexandre Marchetti )

O engenheiro Celso Villar Torino tomou posse, na manhã desta terça-feira (25), como novo diretor técnico executivo da Itaipu Binacional. Ele é o quarto diretor nomeado pelo presidente Jair Messias Bolsonaro para formar a equipe liderada pelo diretor-geral brasileiro, Joaquim Silva e Luna. A posse foi em cerimônia no Edifício da Produção da usina, em Foz do Iguaçu. Torino substitui Mauro Corbellini.

Com 30 anos de casa, Celso Torino é o primeiro empregado de carreira de Itaipu a assumir a Diretoria Técnica Executiva, cargo diretamente ligado à principal função de Itaipu, gerar energia elétrica limpa e renovável. Nos últimos nove anos, Torino foi superintendente de Operação. Agora, assume a área técnica em um momento importante na história da Itaipu, que passará por uma atualização tecnológica na próxima década.

Torino lembrou que a usina chegou este mês à produção de 40 milhões de megawatts-hora (MWh), mesmo antes de fechar o semestre. Nenhuma outra usina no Brasil terá essa produção ao longo de todo o ano. Como diretor, ele espera cumprir a missão que lhe foi confiada, “com o apoio de todos”, e disse estar orgulhoso pelos 30 anos de atuação na área técnica, junto com colegas “que se dedicam diariamente para o funcionamento exemplar da maior produtora de energia do planeta”.

A posse aconteceu uma semana após a nomeação ser publicada no Diário Oficial da União, na terça-feira passada. O mandato tem validade até 16 de maio de 2022.

Além de Torino, o presidente Jair Bolsonaro também escolheu os diretores geral brasileiro, financeiro executivo e de Coordenação. Participaram da cerimônia de posse os outros diretores brasileiros da Itaipu, colegas da Diretoria Técnica e a família de Torino.

“Decidimos valorizar a prata da casa, mas a escolha do diretor passa por um longo processo de aprovação da Eletrobras, do Ministério de Minas e Energia, da Casa Civil e do próprio presidente da República”, afirmou o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. “Esperamos que ele continue fazendo o que sempre fez: um trabalho efetivo para a empresa”, concluiu.

Reconhecimento

A área técnica de Itaipu tem reconhecimento mundial pela produção da usina e pela produtividade, com o melhor aproveitamento possível da matéria-prima, a água. Usina dos recordes, Itaipu superou já na década de 1990 o volume de produção anual previsto no projeto (75 milhões de MWh), atingindo a média de 90 milhões de MWh.

Celso Torino, como gerente da Divisão de Usina e Subestações e, depois, como superintendente de Operação, participou do planejamento, coordenação e gestão da produção da usina, além da segurança e suas instalações, dentre elas as subestações e o sistema de transmissão de Itaipu.

Nos nove anos como superintendente de Operação, Torino participou diretamente de sucessivos recordes de geração. Entre eles, em 2012, com 98,3 milhões de MWh; em 2013, com 98,6 milhões de MWh; e em 2016, com a até hoje imbatível produção de 103,1 milhões de MWh.

Outras conquistas importantes foram os recordes de desempenho operacional, em 2014 e 2018, os melhores nos seus 35 anos de geração. Torino contribuiu também para a maior produção acumulada de energia do mundo: 2,6 bilhões de MWh em três décadas e meia. Uma marca que dificilmente outra usina do mundo irá alcançar.

Em 2011, Celso Villar Torino foi um dos responsáveis por implantar em Itaipu a estratégia que, internamente, ficou conhecida como a “Dança com as Águas”, com base nos conceitos da Teoria das Restrições, cujo foco era elevar a performance da produção de energia da hidrelétrica, considerando conceitos sustentáveis de segurança das pessoas, do meio ambiente e da própria usina.

A estratégia deu tão certo que, nos anos seguintes, a usina conquistou sucessivos recordes de produtividade e também de produção, com o melhor aproveitamento do insumo mais importante para a geração de energia, a água, matéria-prima das hidrelétricas.

Apoio da família

Seu Celso e dona Suely, pais de Celso Torino, viajaram 900 km de Piquete, no Norte de São Paulo, para participar da posse do filho. A esposa, Rosana, o filho Giovanni e a sogra Lourdes também estavam na cerimônia. “Há 30 anos ele veio para cá. Saiu de casa novinho. Para nós, que acompanhamos a carreira dele, é um orgulho ver o filho chegar a esse cargo”, disse a mãe de Torino, Suely.

Itaipu foi o primeiro emprego de Celso Torino como engenheiro. Ele foi contratado em 1989, como engenheiro especialista em estudos elétricos. Antes de trabalhar na usina, teve experiência de um ano como trainee, em Furnas Centrais Elétricas e na empresa privada Geotécnica. Com 12 anos de casa, já em 2001, foi promovido a gerente de Operação da Usina e Subestações. Em 2010, assumiu a Superintendência de Operação.

Paulista de Piquete, Torino tem formação como técnico em Eletrônica pelo COTEC/Unesp e em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Ao seu currículo acadêmico soma-se a Especialização em Automação de Sistemas Elétricos de Potência, pela UFBA/Eletrobras, e um MBA Executivo Internacional pela USP/FIA.

Fotos: Alexandre Marchetti / Itaipu Binacional

<imprensa.itaipu@cliptime.com.br>

Comments are closed.