Poços de Caldas, a cidade muito além das águas termais

Conhecidas pelas características terapêuticas, as águas que deram fama e colocaram a cidade no circuito de turismo medicinal também permitem ao turista desbravar outros pontos turísticos para além das águas

Poços de Caldas é uma cidade graciosa no sul de Minas Gerais (mas a cerca de 2h30 de Campinas ou 3h45 de São Paulo) bastante conhecida por ser um destino para descanso e recuperação da saúde, com suas fontes e termas.

Foi a partir das descobertas das fontes e nascentes de águas sulfurosas é que Poços de Caldas passou a ganhar notoriedade no fim do século XIX e durante muitos anos seguiu recebendo pessoas para tratamento de doenças cutâneas com águas sufosas. Em maio de 2017, Poços de Caldas passou a pertencer à Associação Europeia Termal e Histórica (European Historic Thermal Towns Association), após assinatura de termo de adesão, em Caldas da Rainha (Portugal), tornando-se cidade fora da Europa a integrar o roteiro, formado por importantes balneários europeus.

Desde então a cidade também se destacou em outras frentes, seja na época dos cassinos ou ainda a forte agricultura local, especialmente o café. Fato é que Poços de Caldas se tornou destino de excursão e casais em lua de mel que vão curtir as praças jardinadas, as termas quentinhas, as fábricas de cristais, o clima de interior ao mesmo tempo que a população universitária dá gás à vida noturna.

O que conhecer em Poços de Caldas

Cristo

Para uma bela panorâmica da cidade, suba de teleférico até o alto do morro num percurso de 1,5 km, com oito minutos de duração, em cabines para quatro pessoas. No topo, a 1.663 metros de altitude, uma estátua do Cristo Redentor abraça a cidade.

É possível chegar no Cristo também a pé, pela trilha, ou de carro. Foto: divulgação

Pedra Balão

O curioso monumento, resultado de erosões, fica na Serra de São Domingos. Compreende um conjunto de grandes pedras sobrepostas, com cerca de 10 metros de altura, de onde se tem uma vista privilegiada da região. É possível alugar cavalos para passeios nos arredores.

Acredita-se que as pedras tenham cerca de 60 milhões de anos e sejam resultado de erupções vulcânicas e da ação dos ventos e das chuvas. Foto: divulgação

Praça Pedro Sanches

A Praça Pedro Sanches, de 1920, possui o conjunto arquitetônico mais charmoso da cidade. Formado pelo Palace Hotel, Palace Casino e Thermas Antônio Carlos faz com que os turistas se sintam como se tivessem voltado aos tempos áureos da cidade.

O coreto no meio da praça é palco eventualmente de apresentações da orquestra sinfônica da cidade. Foto: João Araújo

Thermas Antônio Carlos

O prédio neoclássico de 1931 com cerca sete mil m² abriga as águas termais a 45 graus (sulfurosa bicarbonatada alcalina). É possível realizar banhos de imersão em banheiras e ofurôs, serviços de massagem, limpeza de pele e outras dezenas de tratamentos estéticos à base de águas sulfurosas.

O local ainda conta com um pequeno museu sobre como eram esses tratamentos antigamente. Foto: divulgação

Museu Histórico e Geográfico

A mansão do século XIX pertenceu a Martinico Prado Júnior exibe o mobiliário da época e registros dos antigos moradores e visitantes ilustres como Dom Pedro II e Juscelino Kubitschek. O acervo tem quadros, porcelanas, roupas, armas, moedas e objetivos domésticos.

A casa preservada data de 1898. Foto: divulgação

Fonte dos Amores

Um espaço romântico entre a natureza e a Serra de São Domingos, no qual uma estátua de um casal apaixonado, esculpida em mármore pelo italiano Giulio Starace, é abraçada pela serra e por uma queda d’água ao fundo.

Recanto Japonês

Decorado com plantas japonesas, lampiões ornamentais, laguinho com carpas, fontes e uma casa de chá. A mata nativa da Serra de São Domingos rodeia o conjunto.

Réplica de um jardim oriental, o espaço reúne construções e vegetação típicas dos recantos japoneses, além de um lago artificial cheio de carpas coloridas. Foto: divulgação

Cachoeira Véu das Noivas

As três quedas d’água no Ribeirão das Antas – a maior com 10 metros de altura e 15m de largura – podem ser observadas das pedras mais próximas ou do alto, num pequeno mirante. O banho é proibido.

A Cachoeira Véu das noivas é um dos cartões postais de Poços de Caldas. Foto: divulgação

Cascata das Antas

Aqui também ficam as ruínas da primeira hidrelétrica de Poços de Caldas que funcionou entre 1898 e 1902 e foi uma das primeiras do país, colocando a cidade à frente de outras cidades maiores em termos de modernidade.

Rica em recursos hídricos, Poços de Caldas alia os atrativos naturais da Cascata das Antas ao potencial hidrelétrico. Foto: divulgação

Onde ficar em Poços de Caldas

Confira aqui todas as opções de hospedagem em Poços de Caldas, reserve seu hotel e aproveite o passeio 🙂

Comments are closed.