Touca hipotérmica ajuda a diminuir a queda de cabelo em pacientes em tratamento oncológico

Passar por um tratamento oncológico mexe em todos os sentidos com quem está realizando. Não somente a expectativa por bons resultados, a preocupação com familiares, mas, principalmente, como serão os efeitos colaterais da quimioterapia (medicação utilizada). E um desses efeitos é justamente o que pode causar uma alteração na autoimagem dos pacientes: a alopecia ou a chamada queda de cabelo. Uma situação desagradável principalmente para as mulheres.

Segundo o dicionário Houaiss, a autoestima é uma qualidade de quem se valoriza, se contenta com seu modo de ser e demonstra, consequentemente, confiança em seus atos e julgamentos. E é justamente a autoestima que pode ser abalada no tratamento quimioterápico quando a alopecia ocorre. Para Daniele Rabelo, psicóloga clínica do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), “A queda de cabelo pode representar uma mudança significativa na autoimagem, o que pode afetar a autoestima do paciente. Mulheres costumam sentir mais o impacto dessa mudança, pois culturalmente são ensinadas a terem uma relação diferenciada com suas madeixas. O que não significa que os homens não possam sofrer com essa mudança. Seja, portanto, homem ou mulher, a forma como a pessoa observará e sentirá a alopecia vai depender do modo como ela se enxerga e que papel o cabelo desempenha (ou desempenhava) em sua autoimagem”.

 Unidades do Instituto de Oncologia do Paraná contam com máquinas de resfriamento capilar.

A perda de cabelo pode ser evitada?

A responsável por amenizar o impacto da alopecia é uma máquina de resfriamento do couro cabeludo, com tecnologia 100% nacional e certificada pelo Inmetro. O equipamento é da Fabinject, empresa que desenvolveu a Capelli, e funciona com temperaturas muito baixas (até 40º negativos) para evitar a alopecia. Seu sistema de resfriamento atua diretamente no couro cabeludo, feito pela circulação de ar extremamente frio por uma touca térmica. A temperatura muito baixa impede que as medicações quimioterápicas circulem pelo folículo capilar, através da diminuição da microcirculação local e constrição da fibra capilar, fazendo com que os fios de cabelo possam ser preservados. Basicamente, a máquina Freddo é a geradora de um ar extremamente frio, enquanto a Capelli desenvolveu as toucas rígidas, feitas em plástico de engenharia ABS, revestidas de espuma térmica de células fechadas, que é acoplada com uma mangueira condutora ao equipamento de ar frio (Freddo). Estão disponíveis nos tamanhos PP, P, M, G e GG.

Quem pode usar

A chamada touca hipotérmica é indicada para diagnósticos e tratamentos quimioterápicos específicos e contribui para a redução da perda dos cabelos durante o processo de quimioterapia, sendo necessário, portanto, uma rigorosa seleção de quem pode ou não utilizá-la, visto que a mesma não é indicada para todos os pacientes ou todos os esquemas de quimioterapia. “Pacientes em tratamento oncológico podem usufruir dos benefícios das toucas, independente do gênero. Ao optar pelo uso, o paciente é pré-avaliado pela equipe e instruído quanto aos benefícios do método em sua singularidade. Em todos os casos, é necessário consultar o oncologista clínico responsável pelo tratamento quimioterápico, para que ele possa liberar o uso, e a equipe de Enfermagem para ser orientado em relação às indicações e porcentagens de eficácia para cada tipo de protocolo quimioterápico. Recentemente, o IOP adquiriu quatro unidades da máquina Freddo-Capelli, que estão disponíveis na Unidade Mateus Leme (2) e na Unidade IOP no Oncoville (2)”, cita Sabrina Nunes Garcia, diretora da Enfermagem da Unidade Mateus Leme.

O dispositivo de resfriamento do couro cabeludo é operado pela equipe de Enfermagem do IOP, que fez o treinamento com o fabricante da Freddo-Capelli, e deve ser usado durante as sessões de quimioterapia. O resfriamento do couro cabeludo deverá ser feito 30 minutos antes do início da quimioterapia, continua durante a infusão e deve continuar por um período definido após a conclusão do tratamento, por mais 60 ou 120 minutos. Isso dependerá da avaliação da equipe de Enfermagem.

Cuidados pós-uso

Depois de fazer o tratamento com a touca hipotérmica, ao voltar para casa é necessário tomar alguns cuidados, como evitar lavar o cabelo com frequência, evitar o uso de produtos químicos, manusear em excesso os fios ou utilizar secador, chapinha e demais instrumentos aquecidos. Evitar prender o cabelo ou fazer penteados também não é recomendado, mas o uso de xampu a seco está totalmente liberado.

Comments are closed.