International Cardiology Meeting em Curitiba vai discutir conceito Heart&Brain

0
111

Simpósio reunirá cardiologistas e neurologistas para tratar da relação entre doenças do coração e do cérebro e métodos de prevenção e tratamento

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que as doenças cardiovasculares (DVC) são atualmente a principal causa de morte no planeta. Segundo estimativas da entidade, em 2012 cerca de 31% de todas as mortes registradas no mundo tiveram as DVC como causa. No Brasil, esse índice chegou a 31,2% naquele mesmo ano. Entre os fatores de risco relacionados às DVC estão o tabagismo, o abuso de álcool e drogas, o comportamento sedentário, a obesidade, a diabetes e a hipertensão arterial.

O que a medicina contemporânea já entendeu é que o estresse mental é também fator de risco, especialmente o desencadeado por fatores emocionais, o que deixa claro que coração e cérebro estão profundamente conectados.

A relação entre cérebro e coração, causas, consequências e o tratamento das doenças cardiovasculares é o tema central do Simpósio Heart&Brain, que ocorre dentro das atividades do Internacional Cardiology Meeting Curitiba 2019/46ª Congresso Paranaense de Cardiologia, de 8 a 10 de agosto, no ExpoUnimed.

“Vamos abordar, sobretudo, as alterações cardíacas que levam ao AVC (Acidente Vascular Cerebral) com maior frequência”, informa a neurologista Viviane Zétola, organizadora do Heart & Brain. “Serão as arritmias subclínicas, a persistência do forame oval, a aterosclerose carotídea e outras situações que podem ser, junto com a fibrilação atrial, um fator de risco para a doença cerebrovascular.”

O Simpósio é voltado para cardiologistas, neurologistas e demais especialistas interessados no assunto. Para participar, as inscrições podem ser feitas separadamente do Congresso no site www.icm2019.com.br.

“É uma oportunidade única de integrar duas especialidades que tratam da maior causa de morte no mundo, que é a doença cardiovascular. A Cardiologia e a Neurologia atuam juntas, prevenindo e tratando derrames e infartos, mas a informação, muitas vezes, do ponto de vista científico, vem dicotomizada, uma parte vai para a Cardiologia, a outra parte vai para a Neurologia, tornando a prática mais complicada. Quando temos a oportunidade de ouvir o neurologista falar da prática dele, para o cardiologista isso é muito proveitoso, da mesma forma quando o neurologista tem a oportunidade de conversar com o cardiologista, para que haja um consenso no tratamento e na prevenção tendo o paciente como centro das atenções”, avalia o cardiologista Dr. Rodrigo Cerci, diretor científico da Sociedade Paranaense de Cardiologia.

Doenças e métodos de prevenção
As diversas possibilidades de prevenção das doenças serão discutidas em mesas de controvérsia com os profissionais da cardiologia e da neurologia, que trarão à tona as diferenças de abordagens aplicadas ao coração e ao cérebro. “Há muita semelhança no link entre as doenças, porém há diferenças no contexto do tratamento. Formatamos algumas mesas em que tanto o neurologista quanto o cardiologista vão abordar e discutir essas diferenças”, explica a Dra. Viviane.

Na lista de assuntos estão as abordagens diagnósticas e terapêuticas que mudaram nos últimos cinco anos. Entre elas, a utilização de próteses e fechamentos, que podem incrementar a prevenção secundária, aquela que atende o indivíduo que já sofreu um problema cardíaco ou cerebral. E ainda tratamentos que evitem a primeira ocorrência, chamados de prevenção primária.

“Quando temos algumas doenças cardíacas, como a fibrilação atrial, muitas vezes o cuidado do cardiologista em seguir protocolos e até utilizar anticoagulantes e oclusão de apêndice atrial pode evitar com que esse paciente tenha um AVC. Muitas vezes percebemos na prática que o cardiologista mais atento ao AVC pode ajudar nessa prevenção”, detalha a neurologista.

O simpósio vai permitir que neurologistas e cardiologistas troquem informações e aprendam uns com os outros novas abordagens e tratamentos para as doenças que atingem cérebro e coração. As consequências desse debate de ideias será sentido no atendimento à população, com novas possibilidades de prevenção e atendimento pós-ocorrências. A intenção é oferecer aos cardiologistas entender quais os maiores fatores de risco que levam ao AVC e, do mesmo modo, inserir no universo do neurologista, ferramentas para a compreensão dos fatores que levam a doenças cardíacas e, deste modo, estabelecer a correlação no tratamento desses dois órgãos vitais do corpo humano.

“O trabalho Heart&Brain vem sendo abordado com maior ênfase nos últimos cinco anos, embora essa relação tenha sempre sido discutida na literatura”, destaca a médica. “Mas acho que ainda não conseguimos fazer um trabalho em conjunto de forma a trabalharmos com protocolos específicos na prevenção. Então, simpósios que unam as duas especialidades vão ajudar a entender o organismo com um todo”, entende a neurologista.

“É a primeira vez que esse trabalho internacional vai ser discutido no Brasil”, afirma Viviane. Renato Lopes, da Duke University (EUA), especialista no conceito Heart & Brain, é um dos participantes do encontro, e vai trazer sua experiência no tratamento preventivo das ocorrências que atingem cérebro e coração e ainda representam números elevados de mortalidade em todo o mundo.

O evento
O International Cardiology Meeting/46ª Congresso Paranaense de Cardiologia vai reunir os principais nomes da cardiologia mundial para discutir estratégias de redução de mortalidade cardíaca. Já estão confirmados 123 palestrantes de todo o Brasil e 33 palestrantes internacionais, entre eles o cirurgião cardíaco Tirone David, brasileiro radicado no Canadá e conhecido pela criação da técnica de David, e a cardiologista americana Leslee Shaw, PhD, professora de Medicina na Universidade Cornell (EUA).

O evento ainda contará com simpósios internacionais do Departamento de Ergometria, Exercício e Reabilitação Cardiovascular (DERC) da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Grupo de Estudos de Cardiologia Nuclear da SBC (GECN-SBC), Sociedade Americana de Enfermeiros Intensivistas (AACN, sigla em inglês) e Sociedade Americana de Cardiologia Nuclear (ASNC, sigla em inglês).

As inscrições podem ser feitas no site www.icm2019.com.br, onde também está disponibilizada a programação completa. O evento ocorre nas 8h30 às 19h30 na quinta-feira (08/08), das 8h às 19h na sexta-feira (09/08) e das 8h às 12h30 no sábado (10/08). O Expo Unimed Curitiba fica na Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 – Campo Comprido.

Comments are closed.