Muitos colaboradores adquirem habilidade de trabalho, porém, raros são aqueles que conseguem entender sobre ética de trabalho e praticá-la. A ética de trabalho é uma habilidade, diga-se de passagem, muito rara nas empresas. O profissional que possui ética de trabalho é quase que uma mosca branca! 

Todas as pessoas que trabalham ou já trabalharam comigo sabem que o meu modelo de gestão é baseado em três pilares bem definidos: ética, confiança e responsabilidade. Parece simples, mas não é. Muitos colaboradores não conseguem entender a aplicação prática desses conceitos e acabam entrando em um ciclo de sabotagem, pois não acreditam no modelo simplesmente por não estarem acostumados a ele. 

Os modelos tradicionais de liderança visam o cumprimento de jornadas inflexíveis de trabalho, nas quais você é obrigado a estar de corpo presente em um local físico, mas não prioriza a sua capacidade intelectual e nem estimula o seu senso de comprometimento. Hoje em dia, não há mais espaço para profissionais especializados e puxar o tapete dos outros ou empregadores que escravizam seus colaboradores. O que existe é uma cobrança pela excelência.

A sua carreira será cada vez mais determinada pela ética, confiança e responsabilidade exercidas durante toda a sua jornada profissional, do primeiro estágio até sua aposentaria. Há cada vez menos espaço para aquele tipo de colaborador que só exige seus diretos e não está preocupado com seus deveres. Um contrato de trabalho é uma via de mão dupla, ambos, contratante e contratado, possuem direitos e deveres que devem ser cumpridos. 

Para ter sucesso profissional, atualmente, mais do que um bom currículo com diversas competências e habilidades, é preciso gerar valor para a empresa na prática, no dia a dia. 

Ao mudar seu mindset, e focar na geração de valor, você adquire musculatura profissional. Ao invés de perder tempo com fofocas sobre superiores, colegas ou clientes, você pode investir esse mesmo tempo se informando sobre o algum assunto que possa agregar mais valor à atividade que você desempenha. Ao invés de reclamar de tudo, pode investir esse mesmo tempo em sugerir melhorias simples no ambiente de trabalho que podem beneficiar a todos. 

Com o tempo, a somatória das atitudes positivas, que visem agregar valor ao seu desenvolvimento humano e profissional e ao seu ambiente de trabalho, será recompensada. Talvez, a recompensa não venha diretamente na empresa ou função que você desempenha neste momento, porém, o universo conspira para recompensar quem realmente tem interesse em crescer como pessoa e profissional. É só uma questão de tempo.

Michelle Suardi é formada em Processos Gerenciais pela FGV e em educação física, MBA em Gestão Estratégica de Pessoas pela FGV e atua com Desenvolvimento de Negócios Fitness.

Comments are closed.