Gordura retirada do corpo pode ser aproveitada na face para efeito volumizador e antirrugas

Utilizar a gordura do próprio corpo para rejuvenescer a pele é uma tendência entre os procedimentos estéticos. “Como a gordura é do próprio paciente, a técnica é biocompatível e não há os riscos de rejeição. E, mesmo sabendo que cerca de 50% do material enxertado pode ser absorvido pelo organismo, a quantidade restante é repleta de células-tronco capazes de melhorar a qualidade e o aspecto da pele”, afirma o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS). O médico explica abaixo os detalhes do procedimento:

Como é feito – “O primeiro passo é retirar a gordura de outra região, que pode ser dos culotes, partes internas ou externas das coxas, costas ou abdômen — sendo que esta última área é a mais comum. O procedimento é feito através de uma cânula que fará a lipoaspiração do material, levando-o para um recipiente separado. Nele, o médico eliminará partes desnecessárias para que a gordura fique limpa e pronta para ser enxertada no local desejado”, afirma o médico.

Logo após, a gordura é injetada na região facial com o objetivo de trazer efeito volumizador, tratando problemas como bigode chinês, olheiras profundas, rugas, promovendo a harmonização facial. Pode também ser utilizada para dar volume aos lábios, queixo e mandíbula.

O procedimento é feito sob anestesia local e sedação ou anestesia geral quando associado a outras cirurgias. “ Além de promover a melhora na qualidade da pele do loca outra vantagem da lipoenxertia é o fato de ser um preenchimento definitivo”, afirma.

Resultados e pós-procedimento – De acordo com o médico, os resultados se tornam visíveis com a melhora do inchaço, que sai por completo antes de 3 meses.

Com relação ao pós-procedimento, o cirurgião explica que a recuperação não é dolorosa, e o incomodo maior é pelo inchaço e roxidão nas áreas tratadas.

Por fim, o médico ressalta que a lipoenxertia é uma cirurgia minimamente invasiva e que traz muitos benefícios a longo prazo, sobretudo considerando o aspecto psicológico. “Mas para realizar o enxerto de gordura é fundamental que o paciente busque um cirurgião plástico da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, passe por uma consulta e realize os exames solicitados”, finaliza o médico.

PAOLO RUBEZ: Cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS) e da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico é especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, com o Dr Bahman Guyuron (em Cleveland – EUA) e em Rinoplastia Estética e Reparadora, pela mesma Universidade e pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP. http://drpaolorubez.com.br/  <[email protected]>

Comments are closed.