A Golondrina faz curta temporada no Guairinha

0
126

Peça é inspirada no ataque homofóbico que aconteceu na Boate Pulse em Orlando

A Golondrina – Foto João Caldas Fº

Com direção de Gabriel Fontes Paiva e os atores Tania Bondezan (Indicada melhor atriz -Prêmio Shell 2019) e Luciano Andrey no elenco, o espetáculo do espanhol Guillem Clua foi recentemente encenado na Espanha e estrelado pela consagrada atriz Carmen Maura e discute a liberdade, diversidade e aceitação

“O que nos torna humanos? Para Amélia (personagem de Tânia Bondezan) a resposta encontra-se na capacidade de sentir a dor dos outros como se fosse nossa”. E este é o sentimento que corre ao longo da espinha dorsal de A Golondrina, sucesso de crítica e público em São Paulo fará curta temporada em Curitiba nos dias 27, 28 e 29 de setembro.

Com texto do premiado autor barcelonês Guillem Clua e direção de Gabriel Fontes Paiva, a peça traz no elenco Tania Bondezan (que também assina a tradução) e Luciano Andrey. O espetáculo já foi montado em Londres e na Espanha (estrelado pela consagrada atriz Carmen Maura).

O texto é inspirado no ataque terrorista do Bar Pulse, que aconteceu em Orlando (EUA), em junho de 2016, mas nele também ecoam as tragédias do bar Bataclan, em Paris (França), do calçadão em Nice, Las Ramblas de Barcelona. É uma tentativa de compreender a insensatez do horror, as consequências do ódio e as estratégias que usamos para que eles não nos destruam a alma.

Sinopse

Inspirado no ataque terrorista homofóbico que aconteceu no Bar Pulse, em Orlando (EUA), em junho de 2016, o espetáculo mostra o encontro de Ramón (Luciano Andrey), sobrevivente de um ataque praticado por homofóbicos em uma bar Gay, com Amélia (Tania Bondezan), uma severa professora de canto, que também tem sua história ligada a esse trágico evento. Os personagens vão revelando detalhes de seus passados que se entrelaçam como num quebra-cabeças.

”A obra me encantou de tal maneira que, enquanto lia o texto pela primeira vez, parecia que aquelas palavras cabiam na minha boca, como se eu tivesse vivido tudo aquilo. Foi amor à primeira vista. Minha personagem Amélia, que, por coincidência, é o nome da minha mãe, é uma mulher severa e sofrida, sobrevivente de uma tragédia. A vida foi mais generosa comigo, mas somos ambas mães que amam e protegem suas crias, que tentam acertar e carregam culpa o tempo todo, o que nos aproxima. Representá-la é um exercício de mergulhar nas minhas emoções”, conta Tania Bondezan.

“A Golondrina é uma das peças mais comemoradas de Guillem Clua. É uma obra que fala sobre liberdade, diversidade e, sobretudo, sobre aceitação, temas tão caros nos dias que vivemos em todos os lugares do mundo e especialmente aqui no Brasil. O ataque ao Bar Pulse deixou 49 vítimas do preconceito e da homofobia. Mas aqui no nosso país, este tipo de ataque ocorre quase que diariamente e mais grave ainda, de maneira silenciosa. Isso justifica a necessidade de montar este texto atualíssimo, que fala de relações humanas, familiares e da necessidade do entendimento e do perdão. Quando os dois personagens se encontram, eles têm dois caminhos a seguir: podem optar pelo ódio ou caminhar juntos. Ambos têm razões para causarem ainda mais danos além do que sofreram ou se reconhecer na dor um do outro para não permitir que vença o instinto animal”, completa a atriz e tradutora.

A Golondrina

Dias 27, 28 e 29 de setembro
Horário: Sexta e Sábado as 21 e Domingo as 19 hrs
Local: Teatro Guairinha – Auditório Salvador de Ferrante
Endereço: Rua XV de Novembro, 971 – Centro, Curitiba – PR, 80060-000
Valor: R$ 80,00 (Inteira) R$ 40,00 (Meia Entrada)

Comments are closed.