Doença de Crohn x retocolite ulcerativa: quais as diferenças entre essas doenças?

A Doença de Crohn e a retocolite ulcerativa pertencem a um grupo de condições chamado doenças inflamatórias intestinais (DII). Ao redor do mundo, o número de pessoas afetadas pelas DII ultrapassa cinco milhões². Apesar de acometerem a mesma parte do corpo – o sistema digestivo – as enfermidades atuam de maneiras distintas no organismo.

A Doença de Crohnse manifesta por uma inflamação crônica do trato gastrointestinal, que pode afetar desde a boca até o ânus³. Já a retocolite ulcerativa se manifesta por meio da inflamação do reto e do cólon, podendo ocasionar úlceras4. “Ambas são doenças crônicas e suas causas ainda não puderam ser identificadas com precisão. O que se sabe hoje é que as duas enfermidades impactam e muito a qualidade de vida do paciente. Daí a importância de se falar sobre as condições. O conhecimento ainda é a melhor ferramenta para buscar o diagnóstico e iniciar o tratamento indicado pelo especialista”, explicao gastroenterologista e  presidente da Organização Panamericana de Crohn e Colite, Dr.Flavio Steinwurz.

O Dr. Flavio elencou as principais diferenças entre a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa:

As possíveis causas

“As causas da doença de Crohn e da retocolite ulcerativa ainda são pouco conhecidas, no entanto, estudiosos da área acreditam que alguns fatores podem estar envolvidos no desenvolvimento de ambas, tais como: alterações imunológicas, fatores genéticos e ambientais”, comenta o especialista.


Os sintomas

Ambas são condições reincidentes, ou seja, há momentos em que os sintomas estão ativos e outros em que são poucos ou inexistentes (conhecido como fase de remissão)5. O tipo e a severidade dos sintomas, assim como a frequência, variam de pessoa para pessoa.

Retocolite ulcerativa3 Doença de Crohn5,6
ü  Diarreiaü  Perda de apetiteü  Perda de pesoü  Febreü  Anemia  ü  Diarreia ou necessidade constante de ir ao toaleteü  Sangramento retalü  Cólica ou dor abdominalü  Constipaçãoü  Perda de pesoü  Febreü  Cansaçoü  Náusea e perda de apetite 

O diagnóstico
Tanto a Doença de Crohn quanto a retocolite ulcerativa são diagnosticadas com base em três fatores7:
– Sintomas apresentados pelo paciente;
– Exames complementares,  como a tomografia e a colonoscopia;
– Exames patológicos, aqueles em que se analisa um pequeno fragmento do intestino e, normalmente, é retirado durante a própria colonoscopia.

Após o diagnóstico, o médico prescreve o tratamento mais adequado para cada caso. O objetivo é controlar os sintomas, evitar fases de recaída e promover a remissão da doença. Um tratamento de sucesso deve reduzir a intensidade e frequência das recidivas, fazer com que a doença não permaneça ativa e reduzir o impacto na vida do paciente5,8,9.

“Tanto na Doença de Crohn quanto na retocolite ulcerativa, o objetivo do tratamento não é apenas aliviar os sintomas durante a fase de recaída, mas sim manter a doença sob controle. E, claro, permitir que o paciente tenha uma melhor qualidade de vida”, finaliza Dr. Steinwurz.

Referências bibliográficas:

1. Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD). bit.ly/2W3YHlj
2. Burisch J, et al. The epidemiology of inflammatory bowel disease. Scand J Gastroenterol. 2015;50(8):942-51.
3. Crohn’s & Colitis Foundation of America [Internet] The facts about Inflammatory Bowel Disease. [cited 2017 May 03]. Available from: http://www.crohnscolitisfoundation.org/assets/pdfs/updatedibdfactbook.pdf
4. Freitas JA, Tacia M. Retocolite ulcerative. In: Dani, R. Gastroenterologia essencial. 2ª ed. Rio de janeiro: Guanabara Koogan; 2001. P. 362-373.
5. NIH: The National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases [Internet]. Crohn’s disease; Sep 2014. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmedhealth/PMHT0022801

6. CCFA: Crohn’s & Colitis Fundation of America [Internet]. New York: CCFA; c2016. What is Crohn’s disease? [cited 2016 Mar 15].

7. Entendendo a Doença Inflamatória Intestinal. Cartilha ABCD. Disponível em:  https://abcd.org.br/wp-content/uploads/2018/08/entendendo_dii.pdf Acesso em 02/05/2019.
8. Feldman PA, Wolfson D, Barkin JS. Medical management of Crohn’s disease. Clin Colon Rectal Surg. 2007;20(4):269-81.
9. Brazilian Study Group of Inflammatory Bowel Diseases. Consensus guidelines for the management of inflammatory bowel disease. Arq Gastroenterol. 2010;47(3):313-25.

<[email protected]>