Padre Reginaldo Manzotti recebe a Comenda Municipal da Ordem da Luz dos Pinhais de Curitiba

Na noite desta quinta-feira, dia 19 de setembro, o Padre Reginaldo Manzotti recebeu a maior honraria da cidade de Curitiba, a Comenda Municipal da Ordem da Luz dos Pinhais do prefeito Rafael Greca, no Memorial de Curitiba, no Largo da Ordem.

A medalha foi entregue ao Padre em agradecimento aos serviços sociais e culturais prestados através da Associação Evangelizar É Preciso, seu sacerdócio e pelo Santuário Nossa Senhora de Guadalupe e Jesus das Santas Chagas à comunidade curitibana.

“ Só um ser humano nobre é capaz de reconhecer pessoas que somam na construção de um país melhor. Pessoas que do nascer ao pôr do sol trabalham incansavelmente para proporcionar um Brasil, um Paraná, uma Curitiba muito melhores de se viver. Grato, primeiramente a Deus, por confiar a mim a missão de Evangelizar e ajudar a formar cidadãos do bem. Ao prefeito de Curitiba, Rafael Greca de Macedo e a primeira dama, Margarita Sansone, por me escolherem como representante deste grande grupo de homens e mulheres que fazem a diferença neste mundo.

Aqui, neste lugar construído para eternizar a memória de Curitiba, fui homenageado com a honraria máxima da nossa bela e promissora capital do Paraná. A Medalha da Luz dos Pinhais. Deus nos abençoe nesta tão honrada missão.” Diz Padre Manzotti.

A medalha da Ordem da Luz dos Pinhais é concedida às pessoas e instituições que se distinguiram pela notoriedade do saber ou que contribuíram para o engrandecimento da sociedade curitibana. Segundo o prefeito, “a medalha é entregue a quem se destaque pelo bom combate em favor da urbanidade, da paz e do bem”.

Medalha

Banhadas a ouro, as medalhas são inspiradas na obra “Homem à Altura dos Pinheiros”, de João Turin, com o desenho de um homem de braços abertos em um cenário de pinheirais. A imagem remete ao Homem Vitruviano, símbolo do Renascimento, de Leonardo Da Vinci. “É uma releitura transplantada para a terra dos pinheirais”, destaca o prefeito. “Qualifica a grandeza pelo porte e eternidade das araucárias”. A imagem faz ainda outra referência importante à história da capital, tendo sido capa em 1927 da revista Ilustração Paranaense, editada por João Batista Groff, e usada no Movimento Manifesto Paranista, de Alfredo Romário Martins, em 1928. João Turin, por sua vez, é um dos mais importantes artistas da História do Paraná. Nasceu em 1878 em Porto de Cima e morreu em Curitiba em 1949. Com formação em artes plásticas na Academia Nacional de Bruxelas, Turin foi premiado no Salão Nacional de Belas Artes brasileiro em 1944 e 1947. A medalha é sustentada por uma fita nas cores da bandeira de Curitiba verde bandeira, com filete central vermelho, ladeado por dois filetes brancos e dois filetes dourados.

Regras

Instituída pelo decreto municipal 915, de 31 de agosto de 2018, a homenagem é constituída da medalha, de um diploma e da inscrição do nome dos homenageados em um livro de registros. O decreto define o Conselho da Ordem e os critérios para a escolha de nomes, entre os quais devem ser preponderantes a conduta ilibada dos homenageados e ações de relevância em favor da cidade.  <aimprensa@evangelizarepreciso.com.br>

Comments are closed.